Sorocaba e Região

Arcebispo pede orações a invasores que profanaram sacrário de igreja

Ação criminosa aconteceu na Sexta-feira Santa. Os autores não foram identificados
Igreja São Lucas está localizada no Jardim Vergueiro e faz parte da Comunidade São José do Lajeado. Crédito da foto: Divulgação

O arcebispo de Sorocaba, dom Julio Endi Akamine, divulgou um documento endereçado ao pároco José Sérgio de Lima e aos fiéis de Igreja São Lucas — Comunidade São José do Lajeado — pedindo orações e que os responsáveis pela invasão da capela reencontrem a vida da graça.

O documento foi divulgado neste sábado (3), e a invasão e profanação do sacrário ocorreu na sexta-feira (2). A ação criminosa, na Sexta-feira Santa, repercutiu na comunidade católica de Sorocaba. Os autores não foram identificados.

“Fui informado da lamentável invasão da capela e da profanação do sacrário da Comunidade São José do Lajeado Paróquia São Lucas de Sorocaba, descoberta no dia 2 de abril de 2021, Sexta-feira Santa da Paixão do Senhor. Neste dia, o Cristo foi imolado (sacrificado), e a Igreja contempla o mistério do Cordeiro verdadeiro que se substitui o cordeiro prefigurativo mediante seu único sacrifício da cruz”, abre o documento.

Leia mais  Após um ano, pandemia muda perfil de contaminados

Akamine segue e afirma que se une à dor “que essa grave ofensa aos sagrados mistérios provoca em seus paroquianos e em todos os fiéis de nossa Arquidiocese”. “É preciso, antes de voltar a celebrar os sacramentos no templo violado, realizar um rito penitencial a fim de reparar essa grave injúria à sacralidade do lugar e à santidade das celebrações”, diz.

“Peço que sejam tomadas providência nesse sentido e que toda a Arquidiocese seja informada do dia e horário da celebração de desagravo. Dessa maneira, exorto todos os fiéis da nossa Arquidiocese a tomarem parte espiritualmente no rito de reparação através da oração e da penitência pessoal. Não é somente a comunidade local, mas toda a nossa Arquidiocese que sofre com a violação de igreja. Por isso todos nós devemos nos unir espiritualmente ao rito penitencial. Além de suplicar ao Senhor o perdão para todos nós pecadores, rezemos pelos autores deste grave delito a fim de que reencontrem a vida da graça”, pede o arcebispo.

Leia mais  Rede municipal de ensino antecipa recesso de meio de ano para abril

A celebração de desagravo é um ritual tradicional da Igreja Católica em caso de profanação em seus templos. Serve, entre outras coisas, para pedir perdão por quem cometeu o ato. (Marcel Scinocca)

Comentários