Sorocaba e Região

Após denúncia, cessam manobras perigosas de motociclistas no Éden

Na semana passada, motociclistas foram flagrados fazendo manobras arriscadas perto de escola
Após denúncia, cessam manobras perigosas de motociclistas no Éden
Nesta segunda-feira (23), apenas ciclistas e alunos eram vistos na porta da escola. Crédito da foto: Emidio Marques (23/9/2019)

 

Após a reportagem do Cruzeiro do Sul flagrar na semana passada um grupo de motociclistas que fazia manobras arriscadas e perigosas nos horários de entrada e saída dos estudantes da escola estadual Dr. Gualberto Moreira, no Éden, em Sorocaba, os moradores do bairro disseram que as ocorrências diminuíram.

Mas, somente a presença de uma viatura da Polícia Militar impede que os motociclistas fiquem quase que diariamente, por pelo menos 20 minutos, empinando suas motos na rua Bonifácio de Oliveira Cassú, nos dois sentidos, em frente à unidade escolar.

No início da semana passada, a reportagem flagrou pelo menos três motociclistas que empinavam suas motos, em manobras arriscadas e perigosas, em frente à escola. Nesta segunda-feira (23), no início da tarde, a equipe voltou ao local, onde permaneceu durante 20 minutos, mas nenhum motociclista apareceu para fazer as manobras perigosas. Além do movimento de alunos e pais, alguns adolescentes empinavam suas bicicletas na rua da escola.

Ação da Polícia Militar

Os moradores ouvidos pela reportagem, que não quiseram se identificar por medo de represálias, disseram que na sexta-feira (20) uma viatura da PM ficou em frente à escola, o que impediu a ação do grupo de motociclistas. Nesta segunda-feira (23), quando o Cruzeiro do Sul esteve no local nenhuma viatura da PM foi vista.

Questionado, o 7º Batalhão de Polícia Militar do Interior (BPM/I) disse que “o policiamento no local será intensificado com foco nos problemas afetos à segurança pública” e destaca a existência do programa de Ronda Escolar, que acontece nos períodos da manhã, tarde e noite, atendendo escolas estaduais, municipais e particulares. Este ano a polícia registrou, até o momento, aproximadamente 35 mil solicitações para atendimento de ocorrências de perturbação de sossego. (Ana Cláudia Martins)

Comentários