Sorocaba e Região

Aparelho de radioterapia depende de liberação da CNEN

O equipamento chegou ao hospital em 31 de outubro do ano passado, mas ainda depende das licenças
Aparelho de radioterapia depende de liberação
Equipamento chegou à Santa Casa há quatro meses. Crédito da foto: Erick Pinheiro / Arquivo JCS (26/7/2018)

Apesar de ter sido recebido há cerca de quatro meses, o aparelho de radioterapia fornecido pelo governo federal segue sem poder ser utilizado na Santa Casa de Sorocaba. O equipamento chegou ao hospital em 31 de outubro do ano passado, mas ainda depende das licenças de operação emitidas pela Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN).

De acordo com o presidente da Irmandade da Santa Casa, padre Flávio Jorge Miguel Júnior, a estrutura da casamata, que abrigará o serviço, “está praticamente pronta”. “Restam apenas pequenos detalhes em partes interligadas, na recepção, consultórios e banheiro”, aponta. O grande entrave, no entanto, tem sido a tão aguardada visita dos técnicos da CNEN. “Os técnicos vêm do Rio de Janeiro para medir a questão radioativa da casamata. A gente já fez esse pedido da visita há pelo menos um mês, mas ainda não aconteceu. Isso independe de nós”, afirma.

Leia mais  CDHU alerta para golpe do boleto via WhatsApp

No portal do Ministério da Saúde (MS) são divulgadas mensalmente as situações dos projetos ligados ao Plano de Expansão da Radioterapia. Em dezembro de 2018, por exemplo, o MS informava no relatório que a inauguração do equipamento na Santa Casa de Sorocaba ocorreria em 14 de fevereiro. Em janeiro deste ano, porém, a data foi transferida para 29 de março, o que se manteve no informe de fevereiro. “Mas até agora não tive retorno sobre um agendamento para a visita dos técnicos. E, depois que eles vêm, tem uma ou duas semanas para emitirem os laudos”, diz o gestor do hospital.

O Cruzeiro do Sul procurou o MS sobre a data de inauguração do serviço, mas não houve retorno até o fechamento desta edição. O CNEN informou que a inspeção regulatória será realizada após a semana do Carnaval e contará com dois inspetores. “A emissão da autorização dependerá das medidas que serão feitas em relação à segurança radiológica do equipamento. Não existindo não conformidades, a CNEN libera a autorização de funcionamento em três ou quatro dias. Caso haja alguma pendência relativa à proteção radiológica que a instalação deverá corrigir, o processo de liberação deverá sofrer um atraso”, respondeu, em nota.

Somando os valores de obra, equipamento, projeto e fiscalização, o investimento do MS para a implantação do aparelho de radioterapia é de R$ 4,8 milhões. (Esdras Felipe Pereira)

Comentários