Sorocaba e Região

Aparelho de radioterapia depende de liberação da CNEN

O equipamento chegou ao hospital em 31 de outubro do ano passado, mas ainda depende das licenças
Aparelho de radioterapia depende de liberação
Equipamento chegou à Santa Casa há quatro meses. Crédito da foto: Erick Pinheiro / Arquivo JCS (26/7/2018)

Apesar de ter sido recebido há cerca de quatro meses, o aparelho de radioterapia fornecido pelo governo federal segue sem poder ser utilizado na Santa Casa de Sorocaba. O equipamento chegou ao hospital em 31 de outubro do ano passado, mas ainda depende das licenças de operação emitidas pela Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN).

De acordo com o presidente da Irmandade da Santa Casa, padre Flávio Jorge Miguel Júnior, a estrutura da casamata, que abrigará o serviço, “está praticamente pronta”. “Restam apenas pequenos detalhes em partes interligadas, na recepção, consultórios e banheiro”, aponta. O grande entrave, no entanto, tem sido a tão aguardada visita dos técnicos da CNEN. “Os técnicos vêm do Rio de Janeiro para medir a questão radioativa da casamata. A gente já fez esse pedido da visita há pelo menos um mês, mas ainda não aconteceu. Isso independe de nós”, afirma.

Leia mais  Sorocaba contrata mais R$ 3,2 milhões

No portal do Ministério da Saúde (MS) são divulgadas mensalmente as situações dos projetos ligados ao Plano de Expansão da Radioterapia. Em dezembro de 2018, por exemplo, o MS informava no relatório que a inauguração do equipamento na Santa Casa de Sorocaba ocorreria em 14 de fevereiro. Em janeiro deste ano, porém, a data foi transferida para 29 de março, o que se manteve no informe de fevereiro. “Mas até agora não tive retorno sobre um agendamento para a visita dos técnicos. E, depois que eles vêm, tem uma ou duas semanas para emitirem os laudos”, diz o gestor do hospital.

O Cruzeiro do Sul procurou o MS sobre a data de inauguração do serviço, mas não houve retorno até o fechamento desta edição. O CNEN informou que a inspeção regulatória será realizada após a semana do Carnaval e contará com dois inspetores. “A emissão da autorização dependerá das medidas que serão feitas em relação à segurança radiológica do equipamento. Não existindo não conformidades, a CNEN libera a autorização de funcionamento em três ou quatro dias. Caso haja alguma pendência relativa à proteção radiológica que a instalação deverá corrigir, o processo de liberação deverá sofrer um atraso”, respondeu, em nota.

Somando os valores de obra, equipamento, projeto e fiscalização, o investimento do MS para a implantação do aparelho de radioterapia é de R$ 4,8 milhões. (Esdras Felipe Pereira)

Comentários