Sorocaba e Região

Ampliação da calçada na rua da Penha divide motoristas e pedestres

Projeto está em fase de teste e é entre os cruzamentos das ruas Miranda de Azevedo e Coronel Benedito Pires
Ampliação da calçada divide motoristas e pedestres
Projeto da Prefeitura é ainda experimental, mas causa polêmica na região central. Crédito da foto: Emidio Marques

A ampliação das calçadas em dois quarteirões da rua da Penha, no centro de Sorocaba, divide pedestres e motoristas. Na terça-feira (16), a Prefeitura pintou a faixa estendida de verde nos dois lados da rua para indicar os trechos em que, agora, os transeuntes podem circular.

Leia mais  Verde na rua da Penha

 

O projeto está em fase de teste e é entre os cruzamentos das ruas Miranda de Azevedo e Coronel Benedito Pires, dentro do Programa de Alargamento das Calçadas da Prefeitura.

Ampliação da calçada divide motoristas e pedestres
Maria Luiza: é bom. Crédito da foto: Emidio Marques

A jovem aprendiz Maria Luiza Pereira, de 19 anos, passa duas vezes por semana pela rua da Penha para ir a um curso. Ela considera que a extensão das calçadas será positiva para os pedestres. Segundo Maria, antes da ampliação, no período da tarde, principalmente no horário de saída das escolas, as calçadas da via pública costumavam ficar lotadas e, agora, consegue circular tranquilamente.

Ampliação da calçada divide motoristas e pedestres
Thielin: rua tem riscos. Crédito da foto: Emidio Marques

Thielin Stefani Miranda, 20 anos, auxiliar administrativa, concorda com Maria Luiza. Por conta da falta de espaço nas calçadas, conta que precisou, muitas vezes, andar pela rua. Além disso, diz que a rua da Penha é muito movimentada, o que oferece riscos aos transeuntes. Mas ela acredita que, com o aumento das calçadas, a situação deve melhorar. “(A medida) vai ajudar bastante na segurança (dos pedestres)”, avalia.

Já o recepcionista Josenilton dos Santos, de 32 anos, considera que a medida tem pontos positivos e negativos. “Ficou mais fácil de se locomover”, diz. Santos trabalha na Associação Cristã de Mocos (ACM), que fica na rua da Penha. Segundo ele, muitos membros da associação estacionam perto da associação, mas, com a proibição, precisam procurar outros locais para parar os carros. Com isso, idosos e portadores de deficiência, principalmente, acabam sendo prejudicados.

Ampliação da calçada divide motoristas e pedestres
Renato: benefícios. Crédito da foto: Emidio Marques

O formista projetista Renato Garanhani, 44 anos, por sua vez, avalia que a ampliação das calçadas beneficiou tantos os pedestres quanto os motoristas. Conforme Garanhani, que costuma circular de carro pelo local, muitas motocicletas ficavam estacionadas nas laterais da via pública. Como a rua é estreita, os condutores enfrentavam dificuldade para passar pela via e podiam até bater nas motos. Ele também acha que a medida não prejudicou o trânsito, já que a via pública é de mão única. “Apenas um carro por vez desce a rua. Então, não mudou em nada”, opina.

Ampliação da calçada divide motoristas e pedestres
Rodrigo: ruim para trânsito. Crédito da foto: Emidio Marques

Já o taxista Rodrigo Sanches, 36 anos, acha que a mudança prejudicou os motoristas, pois está proibido estacionar na via até mesmo para o embarque e desembarque de passageiros. “(A medida foi) boa para o pedestre e péssima para o trânsito”.

Em entrevista à rádio Cruzeiro FM 92,3 na manhã de terça-feira (19), o presidente da Urbes – Trânsito e Transportes, Luiz Alberto Fioravante, disse que a ampliação das calçadas visa, sobretudo, garantir a segurança dos pedestres que circulam pela rua da Penha.

Reunião na Câmara discute a medida

Um encontro será realizado nesta sexta-feira (22), às 14h, na Câmara Municipal de Sorocaba, para discutir a medida. A iniciativa, do vereador Hudson Pessini (PMDB), é analisar os impactos que a mudança pode causar. Por isso, comerciantes, lojistas e moradores da região devem participar da reunião. (Vinicius Camargo – Programa de estágio / Supervisão: Valdecir Rocha) 

Comentários