Sorocaba e Região

Ação dos flanelinhas volta a ser alvo de reclamações em Sorocaba

Um dos lugares de maior incidência é no entorno do Conjunto Hospitalar de Sorocaba
Ação dos flanelinhas volta a ser alvo de reclamações
Tipos de abordagem e intimidação – e a cobrança indevida – são as maiores queixas dos motoristas. Crédito da foto: Fábio Rogério (28/9/2020)

Motoristas de Sorocaba reclamam da atuação dos guardadores de carros, os tradicionais flanelinhas, principalmente nas regiões centrais e em ruas de grande movimentação. A reorganização do estacionamento rotativo, mais conhecido como Zona Azul, que agora conta com a opção de obter créditos pelo aplicativo Urbes Zona Azul, não conseguiu acabar com esse problema recorrente na cidade. Um dos locais mais problemáticos, conforme a reclamação de motoristas, é a região do entorno do Conjunto Hospitalar de Sorocaba (CHS).

Por não haver legislação municipal que proíbe ou regulamenta a prática, os condutores afirmam que acabam sendo “reféns” dos flanelinhas. De acordo com os motoristas ouvidos e que não quiseram se identificar, as práticas continuam as mesmas de sempre, o que inclui a venda de cartões Zona Azul com valores indevidos e, em alguns casos, abordagens que intimidam e acuam os condutores. Na manhã do dia 28 de setembro, uma segunda-feira, o Cruzeiro do Sul percorreu as proximidades do Conjunto Hospitalar de Sorocaba (CHS) e flagrou a atuação dos flanelinhas nas ruas Bernardo Guimarães e Claudio Manuel da Costa. Alguns deles usavam coletes refletivos.

Leia mais  Secretaria da Saúde de Sorocaba aguarda chegada de novas doses

De acordo com uma comerciante que não quis se identificar, a ação dos flanelinhas ocorre há muitos anos nas ruas do entorno do CHS. “Esse é um problema que merece atenção, até porque a maioria dos motoristas que usam as vagas da região são de cidades vizinhas. Eles acabam comprando dos flanelinhas por conta da praticidade. Assim não precisam buscar os pontos credenciados para obter o cartão”. Nesses casos, conta, os guardadores de carros acabam cobrando valores acima do preço estipulado pela Urbes – Trânsito e Transportes, que é de R$ 1,50 por uma hora. “Eles vendem os cartões pelo preço que acham justo”.

Apesar de todas as reclamações, a comerciante acredita que isso faz parte de um contexto social, ainda mais no momento em que vivemos. “Muitas pessoas estão sem emprego por conta da pandemia. A gente acaba conhecendo os flanelinhas que trabalham por aqui. Essa é a forma que eles têm para sustentar a família”. Para solucionar esse problema, a comerciante sugere a legalização desse trabalho. “Assim, essas pessoas poderiam trabalhar formalmente. Isso já ocorre em cidades vizinhas”, ressalta.

O Cruzeiro do Sul questionou a Urbes – Trânsito e Transportes sobre as reclamações, mas até o fechamento desta edição não teve resposta. Em Sorocaba, 815 vagas de estacionamento rotativo Zona Azul estão disponíveis em 28 ruas do Centro, conforme as informações do site da Urbes. Nessas vagas, a obrigatoriedade do uso do cartão ocorre de segunda a sexta-feira, das 9h às 18h, e sábado, das 9h às 13h. Para evitar aborrecimentos, a empresa pública recomenda em seu site que os motoristas comprem antecipadamente o bloco de cartão somente nos postos de venda autorizados. (Jéssica Nascimento)

Comentários