fbpx
Sorocaba e Região

120ª edição da Romaria de Aparecidinha espera 12 mil pessoas

Procissão do 1º dia do ano marca retorno da imagem de Nossa Senhora à Catedral
Romaria de Aparecidinha espera 12 mil
Imagem de Nossa Senhora está no santuário de Aparecidinha desde o segundo domingo de julho. Crédito da foto: Erick Pinheiro / Arquivo JCS (30/12/2017)

A Romaria de Aparecidinha, em 1º de janeiro de 2019, tem previsão de participação de 8 a 12 mil pessoas em Sorocaba. A estimativa é do padre Ricardo Chizzolini, pároco do Santuário de Aparecidinha. A Prefeitura de Sorocaba fornecerá estrutura para o evento, que chega à 120ª edição. A missa terá início às 5h no Santuário de Aparecidinha e, após o término, os fiéis vão seguir em procissão até a Catedral Metropolitana da cidade, na praça Coronel Fernando Prestes, no Centro, para outra celebração, prevista para começar entre 10h30 e 11h — o trajeto é de aproximadamente 16 quilômetros.

De acordo com a Prefeitura, serão colocados 104 banheiros químicos no decorrer do percurso. Além disso, o Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) deve espalhar caixas d’água para os romeiros poderem se hidratar. Os locais e a quantidade, no entanto, ainda estão sendo definidos.

A Urbes Trânsito e Transportes dará apoio à romaria. Agentes de trânsito vão fazer as interdições necessárias para a passagem dos romeiros pelas avenidas e ruas da cidade, liberando as vias aos veículos ao final da passagem por cada trecho. Haverá, também, apoio da Polícia Militar, Polícia Rodoviária e Guarda Civil Municipal (GCM).

Em relação ao transporte coletivo, serão disponibilizados ônibus extras a partir das 4h. Os ônibus saem da Plataforma 2 – Ponto G, no Terminal Santo Antônio.

Tradição

De acordo com publicação da Gaudium Press, a primeira agência de notícias católicas do Brasil, a Romaria de Aparecidinha acontece desde o século 18. “A primeira menção em jornais sobre a romaria é datada de 1852. Entretanto, somente em 1899 que a festividade se tornou oficializada. Naquele ano, Monsenhor João Soares, então pároco da Matriz Nossa Senhora da Ponte (atual Catedral), fixou duas datas: 1º de janeiro para vinda da Santa para a Catedral, e o segundo domingo de julho para o retorno da Virgem Santíssima ao bairro de Aparecidinha”, informa o texto, indicando que o início do evento coincidiu com um surto de febre amarela na cidade — os devotos de Nossa Senhora Aparecida, então, pediam a cura para a doença.

Para o padre Ricardo Chizzolini, a romaria da próxima terça-feira será mais uma oportunidade de “agradecer, louvar e bendizer a Deus pelas graças alcançadas”. “É o momento de pedir um ano de paz e realizações, de fé e de esperança”, diz ele, que pede a colaboração dos fiéis para a não soltura de fogos de artifício. 

Comentários