Sorocaba e Região

10 escolas municipais de Sorocaba sofreram furtos nas férias

Já reparadas, as escolas agora precisam de cuidados no mato dos terrenos vizinhos
O entorno do CEI 26 Luiz Di Sanctis está com mato alto no terreno ao lado. Foto: Emídio Marques

Dez escolas do ensino municipal de Sorocaba sofreram furtos no período de férias — entre 10 de dezembro do ano passado e 29 de janeiro. As informações são da Secretaria de Educação (Sedu). Na maioria dos casos, as torneiras e também fios elétricos foram levados, mas os reparos já foram feitos pela Secretaria de Conservação, Serviços Públicos e Obras (Serpo). As aulas começam na próxima terça-feira e até o momento, segundo a Sedu, 53 mil crianças estão matriculadas nas 151 unidades escolares da cidade.

Os Centros de Educação Infantil (CEI) foram os principais alvos de furtos e vandalismo. Sete prédios foram invadidos e precisaram de reparos. Na unidade localizada no bairro Aparecidinha (CEI-104), por exemplo, cabos foram furtados no dia 14 de dezembro. Já na unidade do Conjunto Habitacional Ana Paula Eleutério (CEI-96), as torneiras foram alvo da ação de vândalos e a Serpo realizou reparos no local no dia 21 de dezembro. Um furto inusitado ocorreu no CEI-74, no Jardim Pacaembu – a campainha da unidade sumiu no dia 23 de janeiro.

Leia mais  Sorocaba se aproxima de 4 mil casos confirmados do novo coronavírus

A escola Professora Ignês Rodrigues Cesarotti, localizada no Parque Vitória Régia, além dos fios elétricos, também teve o registro e uma torneira próxima à caixa d’água levada no dia 2 de janeiro. As escolas Ronaldo Campos Arruda, no Jardim Josane, e Tereza Ciambelli Gianini, na Vila Nova Sorocaba, também sofreram com o furto da fiação neste mês. A maioria dos casos registrados pela Sedu ocorreram na zona norte de Sorocaba.

De acordo com Edgar Junior, funcionário da Seção de Manutenção de Próprios da Serpo, quando as unidades são furtadas ou vandalizadas durante o ano letivo, os reparos são feitos de imediato, para que não haja transtorno aos alunos. Segundo ele, as demais unidades de ensino também foram vistoriadas e algumas receberam pintura nova, manutenção de hidráulica, elétrica, troca de lâmpadas, forro, entre outros serviços.

O mato no terreno vizinho ao CEI 09 Profº Fernando Rios preocupa pais de alunos. Foto: Emídio Marques

Mato alto

Segundo a Sedu, as escolas têm contado com serviço de limpeza e roçagem por meio da Secretaria de Meio Ambiente, Parques e Jardins (Sema). Embora a maioria das unidades estejam com a grama aparada, o entorno dos prédios preocupa os moradores. O presidente da Associação de Moradores e Proprietários do bairro Piazza Di Roma, Manoel Borges, conta que o entorno do CEI-9 oferece risco para a população. “Já solicitei cinco vezes, desde novembro, a roçagem desse terreno, que é área pública, mas até agora nada foi feito”, reclama.

Leia mais  José Isquierdo Moreno morre aos 84 anos em Sorocaba

Borges relata que muitas pessoas que têm filhos matriculados na unidades estão apreensivas, principalmente por conta do risco de aparecimento de escorpiões. “O CEI está arrumado, mas tem mato por todo os lados do terreno”, conta. Em situação semelhante está o CEI-26, no Central Parque. A unidade, segundo funcionários, recebeu serviço de roçagem no início de janeiro. O terreno ao lado, porém, está com mato muito alto.

A Prefeitura de Sorocaba foi questionada sobre a situação dos terrenos, se há roçagem programada caso a área seja pública e se, caso sejam particulares, se os proprietários foram notificados. Não foi enviada resposta até o fechamento desta matéria.

Comentários