Sorocaba e Região

Taxistas lançam serviço compartilhado em Sorocaba para encarar a concorrência

Corridas podem ser solicitadas nas ruas ou pelo aplicativo Whatsapp e terão preço fixo de R$ 5
O táxi poderá ser ocupado por até quatro passageiros. Foto: Erick Pinheiro

Como forma de se “reinventar” na profissão mediante a concorrência do transporte por aplicativo, 180 taxistas iniciaram em Sorocaba o serviço Táxi Compartilhado. Funcionando com o aplicativo de mensagens WhatsApp, o táxi poderá ser ocupado por até quatro passageiros em um mesmo trajeto, com cada um pagando o valor fixo de R$ 5.

A ideia porém, segundo alguns profissionais do grupo, não é a de competir com o transporte público, cujo valor da passagem é próximo, mas a de se manterem como taxistas, além de beneficiar a população com uma tarifa mais barata. A receptividade ontem foi considerada positiva pelos motoristas. O serviço pode ser solicitado por mensagem via WhatsApp, pelo número (15) 99615-8845.

Leia mais  Crespo muda decreto e atende motoristas de aplicativos

 

De acordo com o taxista Carlos Eduardo Cruz, um dos administradores do Táxi Compartilhado, mesmo com um usuário, sem a lotação completa, o passageiro pagará somente R$ 5. O lucro para os taxistas, segundo ele, está na expectativa de que ocorram, diariamente, até cinco viagens de ida e outras cinco de volta, podendo ganhar até R$ 40, ao passo de que no serviço convencional muitas vezes o taxista nem sai do ponto.

Os taxistas do grupo podem ser acionados também conforme estiverem passando pelas ruas, pois estarão identificados no para-brisa, segundo Felipe Laviano, outro taxista do grupo. Ele ressalta que não oferecerão o serviço nos pontos de ônibus.

Para não terem prejuízo o serviço terá uma distância de até 10 quilômetros aproximadamente, que pela tarifa convencional implicaria num custo de R$ 30 para o passageiro.

Taxistas compartilham corridas por preço fixo
Laviano é um dos taxistas participantes. Foto: Erick Pinheiro

Laviano e Cruz explicam que caso o passageiro tenha pressa ele pode solicitar a viagem pelo valor fechado de R$ 20 ou pelo taxímetro se for abaixo desse valor.

Embora não tenha havido um comunicado oficial para a Urbes – Trânsito e Transportes, Cruz acredita não haver nenhum impedimento legal. Além disso, ele esclarece que dentro da lei de Mobilidade Urbana o compartilhamento é permitido.

O taxista lembra que o mesmo tipo de serviço iniciado ontem em Sorocaba completará um ano no próximo mês em Curitiba.

Urbes

Em nota, a Urbes parabenizou a iniciativa dos taxistas a fim de acompanhar novas tendências e tecnologias, mas cita que de acordo com a nova redação dada à Lei 12.587/12, modificada pela Lei 13640/18, compete aos municípios a regulamentação do transporte remunerado privado individual de passageiro. Portanto, os responsáveis por essa iniciativa devem se credenciar junto à Urbes.

Comentários

Sobre o Autor

Adriane Mendes