Sorocaba e Região

Operação prende envolvidos em explosão de caixas eletrônicos

Um dos acusados resistiu à prisão e morreu durante troca de tiros
Há suspeita de que mais criminosos façam parte da organização. Foto: Pedro Negrão / Arquivo JCS

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) de Sorocaba, aliado à Polícia Militar e com apoio da Secretaria da Administração Penitenciária (SAP), cumpriu, na manhã desta sexta-feira (14), 10 mandados de prisão temporária a integrantes de uma organização criminosa que atuava explodindo e furtando caixas eletrônicos na região, além de cometerem roubos. A operação, denominada Orange, ocorreu em Cerquilho e Tietê, cidades da Região Metropolitana de Sorocaba (RMS). Também foram cumpridos 14 mandados de busca e apreensão — armas e drogas, em quantidades não divulgadas, foram recolhidas.

Leia mais  Criminosos explodem e furtam cofre de banco em Tietê

 

Prisões ocorreram em Cerquilho e Tietê. Foto: Fábio Rogério

Durante um dos cumprimentos de mandados de prisão temporária, um dos homens resistiu à prisão e foi atingido numa troca de tiros com os PMs. Ele, que tinha uma bomba tatuada em uma das mãos, chegou a ser socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), mas não resistiu aos ferimentos. Nenhum membro da corporação ficou ferido.

O nome dos presos não foi informado. Os envolvidos vinham cometendo delitos principalmente nos municípios de Cerquilho, Conchas, Tietê, Cesário Lange, Pereiras e Laranjal Paulista. A investigação para chegar até o bando, segundo o Gaeco, durou dois meses. Há, porém, a suspeita de que mais criminosos façam parte da organização.

De acordo com a Polícia Militar, 117 membros da corporação, em 40 viaturas, atuaram junto às equipes do Gaeco. Houve, inclusive, apoio do helicóptero Águia e de homens das Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota). Os presos vão responder pelos crimes de furto qualificado, roubo e organização criminosa.

Comentários

Sobre o Autor

Esdras Pereira