Sorocaba e Região

Enfermagem da Santa Casa de Sorocaba precisa de mais 104 profissionais

Gestores da Irmandade que administra o hospital prestou contas na Câmara Municipal nesta quinta
Santa Casa precisa de R$ 8,5 milhões por mês para se manter, segundo o gestor. Foto: Erick Pinheiro

A Santa Casa de Sorocaba está com um déficit de 104 profissionais de enfermagem para atender a demanda do hospital, cujo investimento necessário para sanar o problema é de cerca de R$ 300 mil por mês. As informações foram passadas pelos gestores da Irmandade que administra o hospital, e que é presidida pelo padre Flávio Miguel Jorge Júnior. Acompanhado pelo arcebispo de Sorocaba, dom Júlio Akamine, o gestor prestou contas do primeiro ano de gestão à frente da instituição, nesta quinta-feira (13), durante a 56ª sessão ordinária da Câmara de Sorocaba. Segundo o padre Flávio, a Santa Casa precisa de R$ 8,5 milhões por mês para se manter.

Em relação a falta de profissionais na área da enfermagem, padre Flávio disse que o hospital conta atualmente com 79 enfermeiros e 328 técnicos e auxiliares de enfermagem, sendo que o necessário seriam 163 enfermeiros e 348 técnicos e auxiliares.

“O déficit apresentado interfere diretamente na segurança e na qualidade da assistência ao paciente”, afirma o padre.

Enfermagem da Santa Casa precisa de mais 104 profissionais
Padro Flávio e dom Júlio estiveram na Câmara;. Foto: Divulgação / Câmara Sorocaba

O padre Flávio também entregou aos vereadores uma lista com o nome de cada um dos 831 funcionários da Santa Casa, bem como a folha de pagamento por equipes que trabalham no hospital, desde a enfermagem até o pessoal da limpeza, passando ainda pelo Corpo Médico. No total, o hospital gasta cerca de R$ 2,5 milhões com o pagamento de seus funcionários, valor que sobe para R$ 3,2 milhões com os custos trabalhistas. “Não está sendo fácil. Recebemos a Santa Casa com muitos problemas e ainda há vários fatores que nos impedem de fazer o que gostaríamos de fazer”, afirmou. Além disso, dos oito primeiros meses do ano, janeiro a agosto, em cinco meses a Santa Casa teve resultados financeiros negativos.

Leia mais  Câmara autoriza doações para Santa Casa em conta de água

 

Valores

De acordo com os dados apresentados, dos cerca de R$ 7 milhões recebidos pela entidade, o município arca com o maior aporte de recursos: R$ 4,7 milhões. Já o Estado entra com R$ 641 mil e o Governo Federal envia R$ 1,7 milhão por mês. Segundo o padre, no ano, a Prefeitura de Sorocaba envia R$ 56 milhões para a Santa Casa; o Estado, 7,5 milhões, e o Governo Federal, 20 milhões. “Para se manter, a Santa Casa precisa de R$ 8,5 milhões, mensalmente. Se não fosse o repasse da Câmara de Vereadores, com aprovação do prefeito José Crespo, a Santa Casa teria quebrado”, afirmou o padre.

Outro fator preocupante é em relação à dívida do hospital, que era no valor total de R$ 7,6 milhões e após as negociações feitas pela equipe gestora caiu para R$ 3,6 milhões, ou seja, redução de 47%. Do total da dívida, 51% é com bancos privados e públicos, 18% com serviços médicos, e 12% com fornecedores, entre outros.

Juntamente com o arcebispo e o presidente da Irmandade, também estiveram presentes os gestores padre Kojak, padre William e outros diretores da Irmandade.

Comentários

Sobre o Autor

Ana Cláudia Martins