Especial publicitário Mix

Tem cachorro e fica fora o dia todo? Saiba como cuidar do pet nessa situação

Cães sofrem com a ausência dos tutores, é a chamada ‘ansiedade pela separação’. Passear antes de sair e distrai-los são medidas importantes.

Pessoas que querem ter um pet em casa, mas ficam muito tempo fora são geralmente aconselhadas a adotar um gato, ao invés de um cãozinho. Isso porque os felinos costumam se dar melhor com a chamada “ansiedade pela separação”, aquele medo ou angústia que os pets sentem quando não estão com os tutores.

Apesar do conselho ser pertinente, é válido lembrar que os cães, sobretudo os pets que vivem bem em apartamento ou em locais sem muitos espaços abertos, também conseguem aprender a lidar com essa situação com destreza e que, para isso, basta alguns cuidados especiais da parte dos tutores.

Saber identificar os principais problemas que os pets enfrentam quando estão separados dos tutores e como agir nessas situações são imprescindíveis para que os bichinhos tenham o cuidado necessário e a qualidade de vida desejada.

Sinais que os pets dão quando há algo

Você se lembra de quando era criança ficar apreensivo e triste por ficar longe dos seus pais mesmo sabendo que só seriam por algumas horas? Pois bem, os pets sentem coisas parecidas: é a chamada ansiedade pela separação.

Eles também ficam angustiados por não estarem perto dos pais humanos. Entristecem-se, ficam nervosos e, em quadros mais sérios, podem experimentar até mesmo a depressão.

Leia mais  Doa Sorocaba movimenta a generosidade da cidade neste 1° de dezembro

Cães que andam fazendo muita bagunça, latindo muito, raspando as portas, uivando e mesmo os que tinham um comportamento mais enérgico e não apresentam mais tanta vitalidade podem estar sentindo os sintomas da angústia pela separação.

Esse quadro é relativamente comum nos primeiros meses em que o bichinho está vivendo na casa/ apartamento do tutor, mas se isso persiste é de extrema importância que os donos procurem por um acompanhamento de adestradores para tentar amenizar o sofrimento dos cães.

O que fazer para aliviar a ansiedade pela separação

É de extrema importância que os cães, logo cedo, aprendam que em alguns momentos vão se separar de seus tutores. Se o animalzinho está desde filhote com a família humana, então, ele certamente enfrentará menores dificuldades quando adulto porque já foi acostumado com a rotina da família desde cedo.

Mas se o cãozinho chegou para a família quando já era adolescente, ele pode acabar enfrentando alguns sintomas da ansiedade pela separação e nesse caso os tutores devem tentar algumas abordagens para aliviar um pouco o estresse dos cães.

Preparação para sair de casa

Os cães são extremamente inteligentes. Eles percebem absolutamente tudo o que está acontecendo ao redor: não adianta tentar disfarçar, eles vão sacar que o tutor está deixando a casa.

Leia mais  Sociedade Beneficente São Camilo: Carta aberta à população

Por isso, é importante que o dono trate com naturalidade o momento e não demonstre que a situação é problemática ou muito estressante. Ou seja, é melhor tratar o momento calma e não deixar o cãozinho muito preocupado.

Muitos tutores ficam voltando o tempo todo para o local onde os pets estão para fazer carinho e alertar da separação. Isso não é recomendado já que aumenta a ansiedade pela separação. É melhor deixar os pets sozinhos sem fazer muito alarde. Um beijo e algumas palavras de conforto já bastam.

Atividade física é importante para o momento antes da separação

Muitos adestradores e veterinários recomendam que antes de serem deixados sozinhos pelos tutores os pets realizem algumas atividades físicas. Se o tutor estiver com o tempo limitado, brincar de pegar a bolinha por alguns minutos já ajuda.

Ideal mesmo é que os cães façam um passeio na rua. Nesse ambiente eles podem, além de se exercitar e fazer as necessidades básicas, se distrair com a presença de outros humanos e outros cães.

Por ter feito uma atividade física, certamente o bichinho vai se sentir melhor ao longo do dia e, na volta para a casa, o tutor pode levá-lo mais uma vez para esse contato com o ambiente externo.

Distração dentro de casa

Dentro de casa e sozinhos os cães vão procurar algumas atividades para fazer. Os que têm mais energia podem procurar brinquedos ou objetos que façam às vezes de seus brinquedos.

Leia mais  Churrasco com Padre Chef Evandro e Rede Correia ao vivo

Nessa situação, é muito comum que os pets destruam as mobílias, por exemplo. Embora os donos fiquem irritados com isso, é necessário entender o comportamento e a mensagem que o cãozinho está tentando transmitir: ele sente saudades e quer mostrar que está ativo mesmo na ausência dos pais.

Para evitar surpresas desagradáveis, é importante que os tutores pensem em deixar alguns brinquedos espalhados pela casa, de preferência para que os cães tentem achar. Meias velhas com alguns petiscos dentro, pedacinhos de osso dentro de papelões, tudo isso ajuda a distrai-los enquanto o tutor não volta para casa.

Para não sentir tanta saudade

Para que os cães não sintam tanta saudade do tutor, é interessante que o dono deixe algumas peças de roupa espalhadas pela casa. Chinelos e sapatos também servem, mas, antes de qualquer coisa, é necessário certificar-se de que a peça pode, eventualmente, ser danificada porque o animalzinho pode sim destrui-la sem a intenção de magoar o tutor.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Comentários