Especial publicitário Meio Ambiente

Como fazer o descarte de lixo eletrônico de forma correta

O número de eletrônicos ultrapassados não para de crescer no Brasil. E saber como descartá-los pode fazer toda diferença para o planeta

O lixo eletrônico deve ser cuidadosamente descartado, pois muitos de seus componentes podem ser maléficos para a natureza. Municípios devem ter área de descarte apropriadas.

Muitos brasileiros sabem que lixo eletrônico deve ser descartado de uma maneira especial, mas não sabe como fazê-lo. Por isso, é fundamental se informar sobre o assunto.

Quando um produto eletrônico fica velho, muitas pessoas até desejam fazer o descarte correto, mas poucas sabem como fazer isso. Até porque, como se sabe, não é possível descartar esses resíduos como lixo normal.

É válido lembrar que as pessoas tendem a descartar eletrônicos em grandes quantidade. De acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), mais de 44,7 milhões de toneladas de lixo eletrônico são geradas a cada ano, em todo o planeta.

E as consequências do descarte incorreto para o meio ambiente são várias, sobretudo com relação às contaminações de solo e lençóis freáticos. Desfazer-se de pilhas, baterias de carros, trocar o computador ou celular e descartá-los corretamente é essencial para a natureza.

descarte do lixo eletronicoImportância de fazer o descarte correto dos eletrônicos

O ponto principal de fazer o descarte correto de eletrônicos é evitar o impacto ambiental. Afinal, quando um aparelho eletrônico é descartado em algum lugar inadequado, a natureza acaba absorvendo os componentes, o que pode ajudar no desgaste dos recursos naturais.

Segundo alguns biólogos e engenheiros, equipamentos compostos por vidros, metais e plástico, por exemplo, podem demorar até 10 anos para se decompor. Além disso, baterias, pilhas e eletrodomésticos têm substâncias químicas altamente danosas, como chumbo, mercúrio, berílio, cádmio, entre outros.

Reciclagem

O Brasil ainda está caminhando a curtos, mas contínuos passos no assunto descarte. O processo por aqui coleta todos os equipamentos para realizar três tipos de reciclagem: mecânica, química ou térmica.

Mecânica

Nesse tipo de reciclagem, há o trituramento do material. Por fim, há uma separação dos componentes magnéticos e não magnéticos;

Química

Nesse tipo, ocorre a extração de metais por meio da lixiviação, um processo que utiliza usando água-régia (75% de ácido clorídrico e 25% de ácido nítrico) ou ácido-sulfúrico, obtendo-se frações pesadas (metais) e frações leves (plásticos e cerâmicos);

Térmica

Essa reciclagem utiliza de altas temperaturas para poder remodelar os metais, reaproveitando-os em outros processos.

Legislação para descarte

Além da reciclagem, no Brasil já existem políticas vigentes para que os lixos eletrônicos sejam descartados da maneira correta. Um exemplo é a Lei 12.305/2010 que instituiu a Política Nacional de Resíduos Sólidos.

As principais orientações da Lei são no sentido de proteger a saúde e os recursos ambientais, melhorar o trabalho com os resíduos sólidos, isto é, reciclá-los e/ ou reaproveitá-los de maneira mais intensa. Também são objetivos da lei reduzir o volume de resíduos sólidos de alta periculosidade, fazendo trabalhos de conscientização junto à população.

Além dessa norma, há também diretrizes para o descarte de eletroeletrônicos. Uma das mais importantes é a diretiva “REEE”-Resíduos de Equipamentos Elétricos e Eletrônicos proposta pela União Europeia .

Como descartar da forma correta um eletrônico

Para que um descarte seja realizado corretamente, é necessário que o primeiro passo ocorra nos domicílios brasileiros.  Ao realizar uma primeira coleta seletiva, em casa, a pessoa deve separar o lixo normal do lixo eletrônico.

É necessário, por exemplo, separar o lixo orgânico dos eletrônicos, ou seja, não é possível deixar uma pilha já gasta com sobras de alimentos. Mas, além disso, é essencial descartar os eletrônicos em locais apropriados.

Cada município costuma ter um galpão para receber esse tipo de material e, para descobrir onde ele fica, vale a pena entrar em contato com a prefeitura da cidade. Caso os órgãos públicos ainda não tenham esse espaço reservado, vale a pena procurar uma empresa especializada, uma cooperativa de reciclagem ou até mesmo uma universidade que poderá realizar estudos com o material.

Caso o equipamento ainda apresente um bom estado de uso, é interessante doar para alguém que verá utilidade nele. Assim, um ciclo de reutilização será formado e esse eletrônico não irá para um lugar inapropriado.

Como esse lixo eletrônico pode ser reaproveitado?

Existem inúmeras maneiras de reutilizar o lixo eletrônico. A primeira envolve a arte. Sabe aquele teclado velho do primeiro computador que você tinha? As letras que o compõem podem virar chaveiros ou itens para decorar um quarto moderno.

Já monitores podem compor o visual de um estúdio de música particular, dando um ar de moderno e rústico. Isso também vale para as TV’s, desde aquelas de tubo até as mais atuais.

 

Comentários