Presença

‘Yby Soroc’, de Pedro Lopes, no Macs

Foi aberta no Museu de Arte Contemporânea de Sorocaba (Macs) a exposição inédita do artista plástico sorocabano Pedro Lopes
Pedro Lopes, Luiz Antonio Zamuner, Fábio Magalhães, Romildo Campello, Laelso Rodrigues, Werinton Kermes e Alexandre Robim. Crédito da foto: Q!Notícia Comunicação

Foi aberta oficialmente na última quinta-feira, no Museu de Arte Contemporânea de Sorocaba (Macs), a exposição inédita do artista plástico sorocabano Pedro Lopes. “Yby Soroc”, que significa “terra rasgada” em tupi, é composta por vinte painéis de grandes dimensões (2,50 por 1,90 metros), produzidos entre 2000 e 2005, que retratam cronologicamente a história de Sorocaba. A mostra, que faz parte da programação dos 364 anos de Sorocaba, segue até 6 de outubro, com entrada gratuita e horário de visitação de terça a sexta, das 10h às 17h e aos sábados e feriados, das 10h às 15h.

“Satisfação inenarrável” é o sentimento expressado por Pedro Lopes, que classificou o próprio trabalho além da arte, considerando também a finalidade educativa e cultural, além de enaltecer Sorocaba e o desejo das pessoas se identificarem com a cidade. O resgate da história foi também enfatizado pelo secretário de Cultura do Estado de São Paulo, Romildo Campello, que prestigiou a abertura da mostra. Segundo ele, é necessário mostrar que o tropeirismo não se restringia a apenas andar de mulas, mas sim a um desenvolvimento social, passando do século 16 para o 19, com a chegada da ferrovia, e num terceiro ciclo, a cidade vista como pólo industrial. Com uma visão ainda mais ampla, Romildo Campello incluiu também o Macs como ciclo do século 21, agregando arte, cultura, e tecnologia.

Leia mais  Presença: Dia do Batom

O museólogo e curador da mostra, Fábio Magalhães, descreve “Yby Soroc” como uma prova de amor à cidade de Sorocaba. “Trata-se de uma mostra de grande fôlego. O artista desenvolveu 20 painéis de uma pintura muito densa, com grande quantidade de informações, que retrata desde o século XVI até o atual. Inclui não apenas o esforço de pintura, em razão do tamanho das telas, mas também o trabalho como historiador, em que Pedro Lopes entende e interpreta importantes personagens da história sorocabana e brasileira. Além disso, a exposição também se relaciona com a história da arte, quando dialoga com artistas de vários períodos. É uma declaração de amor à Sorocaba, não um amor passivo, mas, sim, um amor que questiona e debate, sendo essa percepção evidenciada por meio dos elementos gráficos contidos sobre as telas, como se o pintor estivesse questionando a própria história que ele conta e fazendo com que ela seja pensada e discutida pelo público”, comentou.

Leia mais  Presença: Amor de 65 carnavais

O secretário de Cultura e Turismo de Sorocaba, Werinton Kermes, destacou a importância desse presente entregue pelo artista e o museu ao município. “Foi a nossa história que o pintor escolheu retratar. É um privilégio para Sorocaba ter o MACS e a participação das obras de Pedro Lopes.”

Para a presidente do Macs, Cristina Delanhesi, a exposição é um presente para Sorocaba “porque é um tratado de autoestima da cidade”. Após o termino da exposição, o museu deverá firmar um termo de parceria com a Prefeitura de Sorocaba, para que essas obras fiquem sob a guarda da instituição. O Macs fica na avenida Afonso Vergueiro, 280, ao lado da antiga Estação Ferroviária de Sorocaba. Outras informações podem ser obtidas pelo telefone: 3233-1692 ou site: www.macs.org.br.

 

Comentários