Presença

Sangue Flamenco

Presença: Sangue Flamenco
Crédito da foto: Arquivo Pessoal

Aos 83 anos, a bailarina Cirene Munhõz é filha de imigrantes espanhóis, que se instalaram na Vila Hortência quando ela tinha seis anos de idade.

Ainda garota, se interessou pelo Ballet Clássico, porém seu sangue espanhol falou mais alto e passou a se dedicar à dança flamenca.

A espanholinha da Vila Hortência foi crescendo e conquistou seu espaço, se apresentou em importantes palcos de São Paulo, Rio de Janeiro, Nova York e Miami. Cirene dançou ao lado de grandes nomes como Carlos Zara e Procópio Ferreira.

Em Sorocaba ministrou aulas em várias academias de dança e atualmente ensina espanhol e dança flamenca em sua casa, aulas que foram interrompidas devido à Covid-19.

Em mais de oito décadas de vida, Cirene nunca viu algo parecido com o que passamos hoje. “Está sendo muito difícil para mim não poder ministrar minhas aulas, estar com minhas amigas e sair para dançar, não vejo a hora de poder fazer isto”, declara a bailarina que, enquanto a pandemia não acaba, se arruma toda e fica dançando e tocando suas castanholas em sua casa.

Comentários