Editorial

Muita esperança e perseverança

O ano de 2020 deixa tristezas, mas também aprendizados. É tempo de refletir, agradecer e seguir

Comemorações à parte — quando era possível e adequado festejar algo –, o fim de ano costuma ser também um momento de reflexão. Ou, ao menos, deveria ser.

É a hora de fazer um balanço do que passou, vibrar com os objetivos alcançados, lamentar por tudo aquilo que não foi realizado e planejar o próximo ciclo.

Mas, nesta virada de ano, a situação é excepcionalmente diferente. A reflexão é necessária e deve ser profunda.

Uma olhada em qualquer uma das retrospectivas de 2020 é de apertar o coração. Seja em vídeo, fotos ou textos, na plataforma que for, o que vemos é um dos anos mais difíceis para a humanidade nos últimos tempos.

A pandemia do novo coronavírus chegou de supetão e modificou tudo aquilo que conhecíamos e com o qual estávamos acostumados.

Como, infelizmente, ainda estamos atravessando esse período turbulento, não é possível ter o distanciamento necessário para avaliar o impacto da Covid-19. Mas ele foi, tem sido e ainda será gigantesco.

A pandemia será lembrada por muitos séculos, para sempre, assim como a gripe espanhola, a cólera ou a peste bubônica.

Além de milhões de vítimas em todo o planeta, a vida das pessoas foi simplesmente virada de ponta cabeça de um dia para o outro.

O “antigo normal” deu lugar a um “novo normal”, com isolamento social, distanciamento, temor e dor.

Leia mais  Volta às aulas é algo fundamental

Empresas fecharam, fronteiras fecharam, as pessoas se fecharam. A economia mundial sofreu duro impacto e milhões perderam seus empregos. O ano de 2020 definitivamente não deixará saudade.

Mas, além do choro e da dor pelas perdas e dificuldades, é hora de refletir e agradecer. Sim, agradecer!

Primeiramente, por termos sobrevivido até aqui, por estarmos vivos, por podermos ver o nascer do Sol, a Lua. É hora de fazer uma saborosa limonada com esses limões. E seguir em frente.

Agradecer também pela força que tivemos para chegar até aqui. Temos de valorizar tudo o que fomos forçados a aprender em 2020.

Tivemos de nos adaptar, fomos obrigados a mudar hábitos e costumes. Nossa rotina mudou radicalmente. O que era presencial virou digital.

Descobrimos uma infinidade de coisas novas que podem até facilitar o dia a dia, tornar as coisas mais eficientes, mesmo sendo diferentes.

Negócios sumiram e novos negócios surgiram. Descobrimos meios de diminuir a burocracia. Descobrimos o home office. Descobrimos o compartilhamento. Vimos o céu mais azul e o ar mais puro devido à diminuição de tráfego.

Leia mais  Uma rasteira contra a saúde

Tivemos a chance de perceber ainda mais o valor da vida, da família e dos amigos.

Aprendemos o valor de um abraço, de um beijo, de um carinho.

O distanciamento e isolamento nos mostraram o valor dos encontros, de compartilhar risadas e tristeza.

Da reunião de família, dos amigos. Tivemos a oportunidade de nos conhecermos melhor, olharmos para nosso interior, refletirmos sobre o que realmente vale a pena.

E tudo isso vai voltar! Tenhamos fé e esperança nisso.

As vacinas estão chegando — para alguns mais rapidamente do que para outros, é verdade — e, em breve, a situação irá melhorar.

Não podemos esmorecer justamente agora, depois de tantos sacrifícios já feitos. Temos de sair dessa pandemia diferentes, mais fortes, mais humanos, mais unidos.

E para sairmos dela precisamos de perseverança, uma palavra que está em nossa essência.

Mantenedora do jornal Cruzeiro do Sul, da rádio Cruzeiro FM 92,3 e do Colégio Politécnico, a Fundação Ubaldino do Amaral (FUA) foi instituída pela Loja Maçônica Perseverança III, uma instituição com 151 anos de vida.

Uma história construída com ideais, ideias e muita dedicação e trabalho. Nessa história centenária, a perseverança sempre norteou todas as ações e iniciativas da FUA. E muito provavelmente a humanidade nunca precisou tanto de perseverança como neste momento em que atravessamos a pandemia.

Leia mais  Remédio equivocado pode matar o doente

Para enfrentar — e superar — uma situação assim, como a atual, que causou milhões de vítimas e mudou a vida de bilhões de pessoas, é preciso ser forte e acreditar. Que a gente siga perseverando em busca de um mundo melhor!

Desconfie do destino e acredite em você. Gaste mais horas realizando do que sonhando, fazendo do que planejando, vivendo do que esperando. Seja livre de espírito, busque a paz e todo e qualquer caminho que você trilhar será iluminado.

Apesar das pedras e espinhos que estão por aí, a beleza da nossa essência resplandecerá pelas estradas da vida.

Um novo ano está aí! Que 2021 seja o ano da virada, o ano do início do fim da pandemia, o ano dos encontros, dos abraços, da amizade. Tenhamos a certeza de dias melhores pela frente.

Dê as boas-vindas ao ano que está chegando e abrace cada novo dia com renovada esperança e alegria.

Um feliz e maravilhoso ano de 2021 a todos os nossos leitores, seguidores, amigos e colaboradores! Um feliz e maravilhoso 2021 à humanidade!

Comentários