Editorial

Cada um fazendo a sua parte

Em Votorantim, a Prefeitura também está criando um abrigo emergencial para moradores de rua da cidade

Como era previsto, tratando-se de uma pandemia com transmissão local, Sorocaba teve na última terça-feira confirmado o primeiro caso de Covid-19 e 124 casos suspeitos da doença, dos quais 17 estão internados.

Há ainda dois óbitos a serem apurados, uma vez que as vítimas também poderiam estar com a doença. Mesmo assim, com esse quadro que tende a piorar, acompanhando a dinâmica da epidemia até que boa parte da população fique imune, assistimos a várias iniciativas que mostram o cuidado das autoridades e entidades com a população e a preocupação com o aumento gradativo das internações dos casos mais graves.

Consciente de que os leitos hospitalares hoje disponíveis na cidade poderão ser insuficientes, a Secretaria de Saúde de Sorocaba (SES) estuda alternativas para criar mais leitos para atender pacientes com Covid-19 sem grandes complicações.

Para isso a Prefeitura deverá montar um hospital de campanha na Arena Multiúso localizada na rodovia Raposo Tavares. A ideia é criar cerca de 150 leitos para tratamento exclusivo de Covid-19.

Com o cancelamento de jogos e suspensão de campeonatos, estádios e ginásios esportivos encontram-se ociosos e podem muito bem ser aproveitados. Segundo o secretário de Saúde, Ademir Watanabe, o espaço será usado para acolher pacientes intermediários da doença.

Leia mais  Secretário Wanderson de Oliveira deixa Ministério da Saúde

Os profissionais que atuarão no hospital de campanha virão das unidades de saúde do município e ainda está sendo estudada a utilização de outros espaços para essa finalidade, como o Ginásio Municipal de Esportes.

Os casos mais graves deverão ser encaminhados à Santa Casa ou ao Conjunto Hospitalar de Sorocaba (CHS) que têm estrutura para isso.

Os hospitais também estão se preparando para a próxima fase da epidemia, quando aumentará consideravelmente o número de pessoas necessitando de internação.

A Santa Casa de Misericórdia concluiu, dias atrás, uma nova ala de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), com 20 leitos, que poderá ser utilizada no enfrentamento da pandemia de coronavírus.

A Santa Casa, com isso, passa a contar com 60 leitos de UTI, sendo que inicialmente 20 deles serão exclusivos para atender vítimas da Covid-19, mas essa proporção poderá aumentar, dependendo da demanda, informam os gestores do hospital.

O Conjunto Hospitalar de Sorocaba, hoje gerido pelo Seconci, atende pacientes de 48 municípios da região, foi requisitado pela Secretaria de Estado de Saúde para se tornar uma das referências na região no enfrentamento da pandemia.

Leia mais  Brasil tem 15,3 mil novos casos da Covid-19 e total chega a 218,2 mil

O CHS, principalmente o Hospital Regional, unidade que faz parte do conjunto, está sendo preparado para atender os pacientes com quadros mais grades da Covid-19. Está ocorrendo treinamento de pessoal e os pacientes confirmados com coronavírus ficarão isolados em uma área do hospital, com equipamentos e proteção necessários.

O CHS também disponibilizará leitos de UTI com isolamento. Cirurgias eletivas de baixo risco têm sido suspensas, assim como foram adotadas restrições no atendimento ambulatorial, para que o CHS esteja preparado e com capacidade para atender os casos mais graves.

Entidades filantrópicas como a Vila dos Velhinhos e o Lar São Vicente de Paulo tomaram providências para a proteção dos idosos. Suspenderam visitas e projetos voluntários por tempo indeterminado, seguindo orientações da Organização Mundial de Saúde.

Outras medidas também estão sendo adotadas para garantir atendimento nos próximos dias. O Clube do Idoso, que funciona na zona leste e que está fechado por conta da pandemia, será transformado em centro de acolhimento para pessoas em situação de rua, com 70 vagas.

O Serviço de Obras Sociais (SOS), entidade filantrópica que presta relevantes serviços à comunidade, também está se adaptando para receber 60 pessoas. Se houver necessidade, a Prefeitura deverá requisitar outros prédios públicos para atender os moradores em situação de rua durante a pandemia.

Leia mais  Provas adiadas

E em Votorantim, a Prefeitura também está criando um abrigo emergencial para moradores de rua da cidade. O centro de acolhimento está sendo montado no ginásio Mirante dos Óvnis, onde além de triagem de saúde, as pessoas poderão tomar banho, se alimentar e pernoitar. Casos suspeitos de coronavírus terão o encaminhamento necessário.

Mas de todas as notícias de como a cidade se prepara para enfrentar a pandemia, a que gera mais otimismo, embora ainda não confirmada oficialmente, é de que uma empresa local, especializada na produção de produtos eletrônicos, deverá produzir respiradores mecânicos, um equipamento fundamental para o enfrentamento dos casos mais graves da doença.

A fabricação desses equipamentos foi anunciada recentemente pelo ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. A empresa teria capacidade de em curto período produzir 400 respiradores por dia. Há falta desse equipamento essencial nas Unidades de Terapia Intensiva tanto no Brasil como no exterior.

Se a empresa local conseguir produzir esses equipamentos, será uma colaboração inestimável para combater a pandemia.

Comentários