Do leitor

Paralisação no Transporte

Leitor critica a paralisação no transporte

A malfadada, e fracassada, greve dos sindicatos em conluio com a Urbes. Digo conluio porque só as empresas de ônibus que aderem à referida greve deixando o povo humilde que depende do referido transporte a ver navio, e muitos sem condições de condução para ir ao trabalho, e preocupado com desconto em seu já miserável salário, tirando o leite de seu filho, e dando dia de ociosidade aos funcionários da empresa, como motoristas e outros funcionários. No caso dos motoristas que tem uns dos melhores salários da região, sem desconto do salário por faltar no serviço como é feito em todas as empresas. Que lei é essa? Só pode ser a lei dos homens. A única greve que tem efeito e que resolve é greve dos caminhoneiros, o resto são sindicatos falidos quando foi tirado, pelo eleito presidente, o desconto de um dia do trabalhador para manter, a força, os referidos sindicatos.
APARECIDO MACHADO

RESPOSTA: No último dia 14 de junho, houve uma paralisação geral contra a reforma da Previdência e o corte em educação pelo Governo Federal. Desde o início a Urbes se opôs à paralisação e, nesse sentido, obteve liminar perante a Justiça do Trabalho, para garantir o transporte na cidade num percentual de 70% da frota, sob pena de multa de R$ 5 mil por trabalhador que aderiu à paralisação, o que pode chegar próximo a R$ 5 milhões. A Urbes, como gerenciadora do sistema de transporte coletivo, também multou as empresas operadoras do transporte em R$ 117.450,00 por não terem cumprido a tabela de horários e deixado a população sem transporte, além do prejuízo por elas assumidos de não receberem o valor diário por deixarem de ter transportado passageiros. Diante da situação apresentada, a Urbes rejeita o termo “conluio”, haja vista que não admite qualquer tipo de paralisação.
PREFEITURA DE SOROCABA

Esclarecemos que os trabalhadores em transportes seguiram orientação das centrais sindicais brasileiras e, assim como outros trabalhadores, aderiram à greve geral em defesa da aposentadoria e contra os cortes de verbas na educação. Portanto, não houve desrespeito do sindicato dos rodoviários a decisões judiciais, o qual está sendo discutido em processos. Sobre o salário dos trabalhadores em transportes, a categoria lutou para ter um salário bom, que é condizente com o salário mínimo adequado para o sustento de uma família, segundo o Dieese.

SINDICATO DOS RODOVIÁRIOS DE SOROCABA E REGIÃO

Resposta Consor: Não houve resposta da Consor
Resposta STU: Não houve resposta da STU

Comentários

CLASSICRUZEIRO