Do leitor

Conta de água

Leitor reclama do aumento na conta de água

Na matéria “contas de água elevadas” fui uma das vítimas e com todos com quem converso, tem a mesma reclamação. Fiz reclamação escrita, e o fiscal com todo respeito, apenas abriu e fechou o registro, toscamente, confirmou vazamento. Não tive notícia de perícia dos antigos hidrômetros “obsoletos”, e destino dado. As contas tiveram aumentos de duas três vezes mais. O noticiário recente fala da “ozônização da água”. É fácil constatar a água tratada e o consumo. O IPTU não sofreu aumento e o aumento das contas, como dizia o então vereador Crespo, ‘há rumores de uma provável ajuda no orçamento. Por outro lado, se este suposto reajuste for confirmado, e venha ser constado, para o novo tratamento, isto deveria chamar-se contribuição de melhoria.

GUARACY RODRIGUES BUENO

RESPOSTA: Esclarecemos que foi efetuada vistoria no imóvel no dia 30 de janeiro, na qual o fiscal efetuou um teste simples verificando se com todos os dispositivos fechados o hidrômetro continuava registrando passagem de água. No caso em questão, mesmo sem a utilização de água no imóvel, o medidor apresentou um pequeno fluxo de água, o que sugere a possibilidade de vazamentos.

Após a vistoria, foi enviada uma carta informando sobre a possibilidade de vazamento e quais os procedimentos, após o conserto, para o pedido de revisão da conta. Diante da insatisfação do usuário, na quarta-feira (6) enviamos novamente um fiscal ao imóvel para melhor orientação. O Sr. Guaracy acompanhou a vistoria e foi orientado a verificar o circuito hidráulico interno com ênfase primeiro nas válvulas de descargas dos banheiros. Constatamos que o chuveiro e a torneira da cozinha são ligados diretamente ao abastecimento da rua, o que pode ocasionar aumento considerável no consumo.

Referente à troca do hidrômetro, o serviço foi realizado em 2 de abril de 2018, por solicitação interna. Nestes casos, o hidrômetro não é aferido, salvo se houver a solicitação do usuário. Consultando nosso sistema não foi registrada nenhuma solicitação. No momento da troca é deixado um informativo que orienta que o hidrômetro trocado poderá ser descartado como sucata seis meses após a troca, salvo se houver oposição fundamentada do usuário, que deverá formalizar o pedido em uma das Casas do Cidadão ou na Central do Saae.

Lembramos que o hidrômetro é um instrumento mecânico e com o tempo de uso sofre desgaste de seus mecanismos levando o aparelho a medir cada vez menos o volume de água que passa por ele. O Inmetro orienta que a cada cinco anos, o mesmo passe por verificação. Entretanto, essas verificações são dispendiosas, razão pela qual é feita a troca sem custo ao usuário, salvo se encontradas violações ou fraudes.

PREFEITURA DE SOROCABA

Comentários
Assuntos

CLASSICRUZEIRO