Buscar no Cruzeiro

Buscar

Acervo

Os 50 anos da missão do médico Fernando Barros Oliveira

02 de Março de 2021

Os 50 anos da missão do médico Fernando Barros Oliveira Dr. Fernando e Fachada da PUC-Sorocaba / Reprodução. Crédito da foto: Reprodução

Vanderlei Testa

Apartamento 319. Terceiro andar. Área Leste do Hospital Santa Lucinda. Dia 23 de fevereiro de 2021, terça-feira. Eram 14h quando entrei para início dos procedimentos que seriam feitos. Às 17h30, já na fase inicial da cirurgia com os preparativos dos enfermeiros e enfermeiras que me atenderam com excelência de cuidados. A fé e as orações me davam uma incrível paz. Muita paz no coração físico. Ele iria ganhar um aparelho eletrônico em poucos minutos. Foi minha primeira experiência cirúrgica. A implantação de um marca-passo. A frequência cardíaca controlada. A minha frequência cardíaca em média de 40 iria para 60. À frente de tudo o médico cirurgião Fernando Barros Oliveira. Desde que o conheci, fiquei impressionado com a sua postura profissional e humana. Um sorocabano orgulho da medicina e da Faculdade do Centro de Ciências Médicas e Biológicas da Pontifícia Universidade Católica PUC/SP, Campus Sorocaba.

Fernando Barros nasceu e morou na região central do entorno da rua Padre Luiz, Mercado, Álvaro Soares. Filho de um dos melhores atletas da seleção de basquete da cidade, o jogador Quinzinho. O seu pai foi um dos atletas vice- campeões dos Jogos Abertos do Interior em 1937 e 1938 e campeão em 1943. O médico Fernando Barros tem nas suas lembranças, em seus 79 anos de vida, o quanto os seus pais foram um exemplo na família e na sua formação. Sua mãe, funcionária da Coletoria Estadual ia a pé de sua casa até o trabalho. O tradicional prédio Palacete Scarpa na rua Souza Pereira. Posteriormente trabalhou em outro prédio histórico, o do antigo Fórum, na praça Frei Baraúna, onde se aposentou. Os seus avós italianos e descendentes marcaram importante presença em atividades comerciais na fundação da loja Pinotti.

Estudante na sua juventude do “Estadão” -- Escola Estadual Dr. Julio Prestes de Albuquerque --, o jovem Fernando Barros buscava inspiração à sua vocação. No terceiro ano do Colegial ganhou uma bolsa de estudo e foi estudar um ano no exterior. Quando retornou decidiu pelo vestibular de medicina na PUC/SP. Aprovado no vestibular, começaria uma trajetória incrível de 50 anos celebrados em 2021, como médico formado em 1971. Perguntei ao doutor Fernando o que o inspirou a se especializar em cardiologia. Suas lembranças viajaram no tempo. Recordou do dia que o doutor Adib Janete veio a Sorocaba, na PUC, para ministrar aulas à sua turma de estudantes e realizar dez cirurgias cardíacas. Como um dos alunos participantes, o Fernando ficou extasiado com essa atuação de um dos mais renomados médicos do Brasil em cardiologia. Aquelas aulas tocaram o seu coração e o seu destino de especialização profissional.

Como médico residente em início de carreira, o doutor Fernando Barros decidiu ir se especializar em São Paulo entre as equipes do doutor Jatene. Ficou lá durante 10 anos. Em 1981 estava de volta clinicando em Sorocaba. Juntando seus conhecimentos teóricos e práticos da faculdade em Sorocaba e a década em meio a destacados profissionais em hospitais de São Paulo, fez a diferença na sua trajetória. Os seus amigos formandos da mesma turma hoje são destacados médicos na história da medicina de Sorocaba. Entre eles, o médico Pedro Sacomano. Doutor Fernando se lembrou dos tempos da faculdade quando o aluno Pedro, funcionário do Banco do Brasil, viajava diariamente a São Paulo para trabalhar e voltava para estudar em Sorocaba.

Dos seus professores vem à memória o doutor Edgard Steffen. Um sábio médico que ensinou os seus alunos e deu testemunho de valores éticos e respeito aos pacientes. Uma recordação do doutor Fernando ilustrou um fato marcante de sua formatura, quando lhe perguntei onde tinha sido a solenidade da sua colação de grau. Ele lembrou que todas as formaturas eram feitas no Cine Santa Rosália, em frente à praça Pio XI. As comissões de formatura do Campus Sorocaba todos os anos organizavam a entrega dos diplomas de Colação de Grau nesse local. Só que em 1971, ano da sua turma, havia somente nove formandos originários de Sorocaba. Os demais alunos eram de outras cidades e a maioria de São Paulo, capital. A decisão dos médicos formandos sorocabanos foi boicotar a festa, desta vez a ser realizada no teatro Tuca, em São Paulo. Nenhum dos nove alunos compareceu. Receberam os seus diplomas na sala da Reitoria da PUC, em Sorocaba. A partir dessa atitude correta, nunca mais, até agora, uma comissão de formatura mudou a cidade de Sorocaba como sede da Colação de Grau.

Doutor Fernando Barros Oliveira é pai de duas filhas, Luciana, médica em Sorocaba, e Marina, administradora e moradora no Rio de Janeiro. Ele é casado com a professora já aposentada, Wanda Marina. São avós de três netos, Antônio, Rodrigo e André. Os seus cinquenta anos dedicados à medicina e como cardiologista, servindo com dignidade ao juramento que fez desde 1971, continuam sendo praticados diariamente com a sua luz, que brilha na busca da cura e tratamentos que realiza. Fui um dos milhares de pacientes abençoados com as suas mãos firmes na cirurgia que me trouxe um novo pulsar do coração. Gratidão à Funserv, meu convênio, cuja gestão eficiente da Silvana Chinelatto e sua diretoria possibilitaram este procedimento cirúrgico.

Doutor Fernando Barros recentemente passou por uma Covid-19, contaminando-se na sua atuação profissional e hospitalar. Felizmente conseguiu, após longo, doloroso e difícil tratamento, ser curado. Com as vacinas sendo aplicadas aos médicos e enfermeiros da linha de frente, já tomou as duas doses. E logo cedinho, há 50 anos, todos os dias, ele continua se entregando com determinação à sua missão de médico trazendo no seu coração os ensinamentos cristãos de seus pais, como diz o Livro dos Provérbios: “Recomenda ao Senhor as suas obras e os seus projetos terão sucesso”.

Vanderlei Testa é jornalista e publicitário. Escreve às terças-feiras no jornal Cruzeiro do Sul e aos sábados no www.blogvanderleitesta.com e www.facebook.com/artigosdovanderleitesta.