fbpx
Artigos

Daiquiris e ‘Wots’

Neusa Gatto

Então, o cara com um jeito desengonçado entra no bar. Daqueles com porta vai e vem. Country total. Para um pouco, observa o ambiente. Bom, pensa. Música a toda. Velho e bom som do Mississipi, dos rancheiros de bota bicuda, da turma das caçambas de caminhonete. Som de verdade. Sorri. Entra, olha aqui e ali um tanto ressabiado. Seus cabelos compridos impressionam. Algumas mulheres olham pra ele. Tímido, desvia o olhar, mas vê… sorri…. continua a caminhar.

No canto do bar, ainda no primeiro chope, ela o vê. O segue com o olhar. Observa o sorrisinho dele pros olhares delas… Vira o rosto. Exibido, pensa.

No salão, ele encosta no bar. Analisa as garrafas expostas na vitrine atrás do garçom e pede um daiquiri. Isso, vai beber o verão, a alegria de estar ali, o entorpecer lento, constante e feliz. A bebida, exótica, é a da vez.

Leia mais  Colagens na Primavera

Como é bom ouvir aquele velho blues. Batido. Sincopado. Que mexe com a sua cabeça. Corpo. Mente. Fecha os olhos e quase vira toda a bebida. Pede outra. Quer ficar bêbado, com certeza.
Sem problemas, pensa. Amanhã é sábado. E o astral de agora é único. Indefinível.

E, então ela passa. Se esbarram. E ele a tira para dançar. Assim, como não quer nada em seu ardor etílico. Ela aceita. E então, saem pelo salão ao som de um country estilo Texas. No bar toca Kaleo, “I walk on water”.

E ela roda nos braços dele. Ele arrisca seus passos mais exóticos. Ela o acompanha. Que loucura era aquela? Alguém quer saber ali? Não.

E, então dançam… Logo estão a escolher músicas pra dançarem juntos. E, logo também, dividem daiquiris. E, então, logo, o salão brilha pros dois. Os sorrisos se abrem. Corações também. E, quanta conversa, ali, no balcão do bar. Se descobrem interessantes… sabem o quanto é difícil coisas assim… submergem à oportunidade. A paixão… vem…aos poucos.

Leia mais  Ética e cidadania

Ele arrisca a apresentar a ela um novo som. E “Wots”, de Pink Floyd, sai do celular dele. Ouvem juntos. Ela diz: Linda! Tá maravilhada. Sente um profundo envolvimento que amarra detalhes. Toca o coração.

A música chega ao fim. Ela pede pra ouvir de novo. E, de novo, de novo, de novo, escutaria aquela música dali pra frente. E, sempre que ouve, lembra dele!

Neusa Gatto é jornalista e produtora de vídeos.

Comentários