Artigos

A Covid era nossa salvação!

Artigo escrito por Fellipe de Andrade Abreu e Lima, arquiteto, professor e coordenador do curso de Arquitetura e Urbanismo da Escola Superior de Administração, Marketing e Comunicação (ESAMC) Sorocaba

Fellipe de Andrade Abreu e Lima

Parte 1 — Neste ano de 2021 que estamos, iniciamos o mais festivo carnaval de todos os tempos. Os governos federal, estaduais e municipais no Brasil se uniram. Não há mais discussões políticas nos legislativos em todo o Brasil, pois superamos a maior crise de saúde pública da história do país. A Covid é passado e as vacinas estão protegendo todos no mundo. Reabrimos todas as fronteiras e a bolsa superou 130 mil pontos com as expectativas de crescimento. Não lembramos da crise econômica dos anos 80 nem da crise da fome de meados de 1915. Não recordamos as chacinas sociais impetradas por governos no século XX nem a escravidão dos séculos XVII ao XIX. Tudo isso é passado e nós superamos juntos, pois somos um povo festivo e afetuoso! Somos brasileiros e sempre aceitamos com bom humor as ruínas de nós mesmos!

Vivemos um enorme problema e superamos 100 mil mortes por causa da Covid; mas tudo deu certo, graças ao empenho iluminado das grandes empresas farmacêuticas, que agiram com seus espíritos de bem comum para nos salvar da morte que se aproximava. Os governos altamente capacitados no Brasil atuaram e garantiram a sobrevivência econômica do nosso povo, pois os doutos vereadores, os nobres deputados estaduais e federais e os magníficos e experts prefeitos, governadores e presidente (eleitos todos pelo magnífico sistema democrático representativo — o melhor de todos os sistemas políticos de todos os tempos) votaram leis extremamente importantes para a nação. Todos nós percebemos na pele as mudanças. Os poderes públicos deram aula de gestão. O país uniu-se em prol da causa carnavalesca. Diante da superação do difícil ano de 2020 nada mais justo como aplicarmos nas festas de carnaval deste ano milagroso de 2021. Merecemos, pois somos um povo maravilhoso que superou os obstáculos. Somos demais! Pentacampeões do mundo não é pouca coisa!

Nossas cidades são planejadas pelos doutos e são lindas. Apesar de causarem segregação, contribuírem com injustiças sociais e dificultarem a vida de todos podemos dizer que superamos e hoje somos capazes de criar boas cidades! Apesar de termos um sistema jurídico caro, ineficiente e ágil podemos dizer que estamos criando justiça social, principalmente, com a diminuição dos privilégios e a estratificação! Apesar de termos milhares de municípios que não se sustentam e prejudicam a sociedade com funcionalismo e burocracia, podemos ter a certeza que sem o eficiente sistema de saúde público a tragédia teria sido maior! Somos brasileiros e não desistimos nunca!

Parte 2 — Esse mês de junho de 2021 será o mais trágico da história brasileira. Um novo vírus surgiu. Esse vírus mostrou que não aprendemos nada e o carnaval difundiu esse novo Brasid-21 — o mais mortal de todos os vírus da história da humanidade. Esse vírus pode matar 205 milhões de brasileiros. Os políticos decidiram parar de planejar e ouvir os técnicos. Diante da morte, todos repensam tudo! O povo decidiu cobrar ativamente uma saúde pública de qualidade e universal. O judiciário decidiu cortar parte do salário, pois o povo percebeu que é injusto pagar para demagogia e cobrar produtividade. Descobriram que a autoridade é o povo e não os doutos, nobres e magníficos eleitos pelo mais justo e imparciais dos sistemas políticos: democracia.

Professores das universidades públicas foram cobrados a trabalhar mais e ganhar menos para alocarmos os recursos para nova vacina do Brasid-21. Políticos e juízes foram perseguidos para trabalhar com um mês de férias apenas como todo cidadão brasileiro. Afinal, todos somos iguais perante a lei. Diante de tudo isso descobri que a Covid de 2020 era nossa salvação, pena que não soubemos aproveitar. Nunca na história deste país teremos outra chance. Acabou!

Fellipe de Andrade Abreu e Lima é arquiteto, professor e coordenador do curso de Arquitetura e Urbanismo da Escola Superior de Administração, Marketing e Comunicação (ESAMC) Sorocaba.

Comentários