Motor

Salão de Frankfurt se rende aos novos carros elétricos alemães

Este ano, muitas marcas estrangeiras decidiram não participar do salão, incluindo as gigantes japonesas, americanas e francesas
Salão de Frankfurt se rende aos carros elétricos
Os carros elétricos foram a grande atração do Salão. Crédito da foto: Divulgação

Os novos carros elétricos alemães são as estrelas do Salão do Automóvel de Frankfurt, aberto no último dia 10 à imprensa, em um mercado em queda, no qual os fabricantes temem o impacto dos novos regulamentos europeus contra a poluição. O Salão fica aberto até este domingo, dia 22.

Na segunda-feira à noite, centenas de jornalistas assistiram à apresentação do novo carro elétrico da Volkswagen, chamado ID.3, um veículo compacto que a marca compara com seu famoso Fusca.

Salão de Frankfurt se rende aos carros elétricos
A Porsche apresentou seu esportivo elétrico Taycan. Crédito da foto: Divulgação

O grupo Volkswagen também apresentou o Taycan, um carro esportivo de luxo 100% elétrico de sua marca Porsche, capaz de ir de 0 a 100 km/h em menos de três segundos e que quer rivalizar com a Tesla, a companhia californiana líder dos carros elétricos. Este ano, muitas marcas estrangeiras decidiram não participar do salão, incluindo as gigantes japonesas Toyota e Nissan, as americanas General Motors e Fiat-Chrysler e as francesas Renault, Peugeot e Citroën.

Leia mais  Coreia do Sul vai multar Volkswagen e Porsche por dieselgate

 

Segundo Ferdinand Dudenhöffer, diretor do Center Automotive Research (CAR), a crise do salão “é uma consequência da má imagem da indústria alemã afetada pelo ‘dieselgate’ (o escândalo dos motores adulterados da Volkswagen) e pelo desenvolvimento tardio do carro elétrico”.

Salão de Frankfurt se rende aos carros elétricos
O Trail, conceito apresentado pela Audi. Crédito da foto: Divulgação

O setor como um todo está passando por um período difícil devido às mudanças tecnológicas, que exigem bilhões de dólares em investimentos, bem como a guerra comercial, Brexit e, na Europa, os novos limites de emissão de CO2.

Além disso, os carros estão cada vez mais no centro das atenções pela poluição das cidades e neste sábado a polícia espera entre 15.000 e 20.000 pessoas em uma grande manifestação no Centro de Convenções de Frankfurt para exigir uma “revolução nos transportes”.

No primeiro semestre do ano, o mercado mundial de automóveis retrocedeu 5%, principalmente por causa da China.

As fabricantes alemães foram particularmente afetadas pela crise e, nos primeiros oito meses do ano, a produção caiu 11% em relação ao mesmo período do ano passado, segundo dados da federação profissional (VDA).

Salão de Frankfurt se rende aos carros elétricos
BMW i8, po híbrido plug-in da marca alemã. Crédito da foto: Divulgação

Na Europa, a partir do próximo ano, os carros novos deverão ter emissões médias de CO2 inferiores a 95 gramas por quilômetro, com multas significativas em caso de descumprimento. Para conseguir isso, o carro elétrico é a melhor solução, o que explica os modelos 100% elétricos ou híbridos apresentados esta semana no Salão do Automóvel de Frankfurt.

No entanto, as vendas ainda são marginais. Na Europa, representam apenas 2% do mercado e ainda há dúvidas sobre seu alto preço e os limites de sua autonomia. Segundo o presidente da Volkswagen, Herbert Diess, o sucesso dos carros elétricos “dependerá muito das condições políticas”. Ele pediu mais “subsídios” para baixar os preços e “acelerar a implantação de pontos para recarrega”.

As marcas alemãs ainda estão pouco presentes nesse mercado. A BMW não obteve o sucesso esperado com seu modelo i3 e não possui carros grandes equivalentes aos da Tesla. Por sua vez, Mercedes e Audi mal começaram a trabalhar neste setor.

Poucos esportivos

Salão de Frankfurt se rende aos carros elétricos
O Lamborghini Sian é o esportivo mais fotografado. Crédito da foto: Divulgação

O salão trouxe poucos modelos esportivos, mas mesmo assim, eles chamaram a atenção. Com a ausência da Ferrari no evento, o posto de superesportivo mais badalado ficou com o Lamborghini Sian. Mas nem ele consegue escapar da eletrificação. Trata-se do primeiro modelo híbrido da marca italiana, que pertence ao Grupo Volkswagen.

Ser híbrido, no entanto, é um ingrediente que valoriza ainda mais a esportividade do Sian. O superesportivo é também o Lamborghini mais potente de todos os tempos. Com a combinação de seu motor 6.5 V12 a um elétrico de 48V, ele entrega 830 cv e acelera de 0 a 100 km/h em 2,8 segundos.

Salão de Frankfurt se rende aos carros elétricos
A Audi levou o conversível AR8 V10. Crédito da foto: Divulgação

Na Audi, apesar da presença de protótipos elétricos e autônomos, dois esportivos chamam a atenção – ambos devem ser vendidos no mercado brasileiro. A marca promove em Frankfurt a estreia das versões preparadas do A6 e do A7 – a perua RS6 Avant e o RS7.

Uma cara corrida contra o tempo

Não há dúvidas que a eletrificação de automóveis é o fato mais importante deste Salão do automóvel de Frankfurt, que embora esvaziado por grandes montadoras, trouxe algumas novidades interessantes. As marcas do Grupo Volkswagen, BMW e a Mercedes-Benz aproveitam o evento para mostrar diversas formas de eletrificação, seja por meio de conceitos futuristas ou de carros que estarão nas ruas em 2020. Por outro lado, o alto escalão das fabricantes alemãs pediu, durante os dias de prévia do salão, normas um pouco mais brandas, pois a capacidade de investimento em soluções ecologicamente corretas está se esgotando.

Salão de Frankfurt se rende aos carros elétricos
A Land Rover levou a nova geração do Defender. Crédito da foto: Divulgação

Nem o Land Rover Defender, o tradicional utilitário de origem inglesa escapou da eletrificação. A nova geração do carro já estreia com uma versão híbrida leve. Além disso, uma híbrida convencional, no qual o motor elétrico também faz o papel de empurrar o carro, já está confirmada – a data de seu lançamento ainda não foi divulgada. A nova geração do ícone da Land Rover chega ao Brasil até meados do ano que vem. A marca oferecerá uma série especial de lançamento, a First Edition, que será vendida apenas durante o primeiro ano de produção do novo modelo.

É grande a comoção na corrida pelos carros elétricos, a resposta que as montadoras encontraram para as cada vez mais rígidas leis sobre emissões de poluentes nos EUA e Europa. Por outro lado, o alto escalão das fabricantes alemãs pediu, durante os dias de prévia do salão, normas um pouco mais brandas, pois a capacidade de investimento em soluções ecologicamente corretas está se esgotando.

Com tantas estreias elétricas, os principais holofotes ficaram com a Land Rover, que mostra a nova geração do Defender e o superesportivo híbrido Sian, da Lamborghini.

Alguns destaques da mostra que termina no próximo domingo:

Salão de Frankfurt se rende aos carros elétricos
O MINI elétrico fez sua estreia em Frankfurt. Crédito da foto: Divulgação

MINI Cooper SE – O primeiro carro 100% elétrico da montadora inglesa tem 184 cv e pode rodar até 270 quilômetros com uma carga completa na bateria.

Mercedes-Benz EQS – Conceito elétrico de 475 cv antecipa um sedã com jeito de cupê e traz nova base modular, que pode ser alongada para aumentar o número de baterias.

Honda E – Versão final do japonês elétrico manteve o mesmo visual do modelo conceitual. Com tração traseira, o carro terá duas versões de potência: 136 ou 154 cv.

BMW Concept 4 – Conceito que traz a grade de duplo rim da BMW com orientação vertical antecipa o novo Série 4 e também a próxima geração de carros da marca.

Audi AI: Trail – Protótipo de SUV 4×4 elétrico e autônomo tem 500 km de autonomia e visual futurista, com drones no lugar dos faróis convencionais

Salão de Frankfurt se rende aos carros elétricos
Volkswagen ID.3 é festejado como o novo Fusca. Crédito da foto: Divulgação

Volkswagen ID.3 – Hatch é o primeiro da família de carros elétricos que a VW lançará nos próximos anos. Com até 550 km de autonomia, modelo chega à Europa em 2020. (Daniel Aronssohn e Yann Schreiber da AFP, com informações de fabricantes e  Estadão Conteúdo)

Comentários