Motor

Mustang Mach-E: Um ícone ligado na tomada

Ford apresentou o Mustang Mach-E, um SUV elétrico derivado do cupê esportivo mais vendido do mundo
O SUV com jeito de coupé derivado do Mustang foi apresentado em Los Angeles. Crédito da Foto: Divulgação

Ícone dos muscle cars e dos carros com grandes motores de oito cilindros, o cupê esportivo mais vendido do mundo, o Ford Mustang se rendeu à modernidade e terá dentro em breve uma versão movida a eletricidade.

Esta será a primeira ampliação da família Mustang em 55 anos. Quando foi lançado em 1964, o primeiro Mustang rapidamente conquistou o mundo e passou a representar o melhor do espírito americano: liberdade, progresso e alto desempenho com um toque de rebeldia.

Leia mais  Ford Mustang corre em busca do tempo perdido

 

Agora, ele está pronto para reinventar essas ideias e criar um futuro elétrico poderoso, com atualizações sem fio que permitem continuar aprimorando o veículo para atender as crescentes necessidades dos clientes.

“No primeiro Salão de Detroit, Henry Ford disse que estava trabalhando em algo que teria o impacto de um raio”, disse Bill Ford, presidente do Conselho da Ford.

“Era o Modelo T. Hoje, a Ford se orgulha de novamente apresentar um carro que tem a potência de um raio: o novíssimo Mustang Mach-E elétrico. Um carro rápido, divertido e um símbolo de liberdade para a nova geração de fãs do Mustang.”

Desenvolvido em um edifício centenário a alguns quarteirões da primeira fábrica de Henry Ford em Detroit, o Mustang Mach-E nasceu de um projeto totalmente centrado nas necessidades e desejos dos consumidores.

O resultado é um SUV bonito e elegante, que proporciona uma direção inspirada e traz sofisticada tecnologia de conectividade, que permite atualizações para se tornar ainda melhor com o tempo.

O Mustang Mach-E chega ao mercado norte-americano no final de 2020, com as opções de bateria padrão ou de longo alcance e tração traseira ou nas quatro rodas, acionada por motores de ímã permanente.

Com bateria de longo alcance e tração traseira, o Mach-E terá um autonomia de pelo menos 480 km (padrão EPA). Na versão com tração integral, terá uma potência estimada de 336 cavalos e torque de 57 kgfm, com aceleração de 0 a 100 km/h mais rápida que a versão básica do Porsche Macan.

A Ford vai oferecer também duas versões especiais de performance do SUV. O Mustang Mach-E GT deve acelerar de 0 a 100 km/h em menos de 4 segundos mais rápido que um Porsche Macan Turbo.

Já o GT Performance Edition deve chegar aos 100 km/h em cerca de 3 segundos, mesmo tempo de um Porsche 911 GTS. Ambos os modelos GT terão uma potência estimada de 465 cv e torque de 84,6 kgfm.

Além de aceleração empolgante, o Mustang Mach-E poderá ser equipado com as novas pinças de alumínio Flexira, da Brembo, que combinam a funcionalidade de uma pinça fixa com as dimensões de uma pinça flutuante.

O GT Performance Edition é equipado também com a tecnologia de suspensão adaptativa MagneRide Damping System, que proporciona uma rodagem emocionante e confortável com excepcional estabilidade.

Eletrizante

O Mustang Mach-E tem três modos de direção Whisper (“Sussurro”), Engage (“Engajado”) e Unbridled (“Desenfreado”) , cada um com uma dinâmica de direção diferente para proporcionar uma experiência sensorial única.

Seus recursos permitem personalizar as respostas do veículo, como controles de direção mais esportivos, iluminação ambiente e sons ajustados para uma experiência elétrica autêntica, além de animações no painel que acompanham o estilo de dirigir do motorista.

O veículo terá como opção um inédito sistema de tração nas quatro rodas (eAWD) que pode distribuir o torque nos eixos dianteiro e traseiro de forma independente, proporcionando aceleração impressionante e uma condução mais refinada.

Usando a nova arquitetura elétrica da Ford, com baterias instaladas na parte inferior do veículo, os engenheiros e designers da Ford criaram um SUV que não só é fiel ao Mustang como otimiza o espaço para cinco passageiros e bagagem.

O porta-malas traseiro do Mach-E tem 821 litros, que com o banco traseiro rebaixado chegam a 1.687 litros. Junto com o novo sistema de propulsão, sob o capô dianteiro, há espaço para mais 136 litros de bagagem.

O Mustang Mach-E será oferecido com a opção de duas avançadas baterias de íons de lítio: com autonomia padrão (bateria de 75,7 kWh de 288 células) ou autonomia estendida (bateria de 98,8 kWh de 376 células), esta última com capacidade de pelo menos 480 km no padrão EPA, com tração traseira.

A bateria do Mach-E foi projetada para facilitar a fabricação e fica instalada no piso entre os dois eixos do veículo. O sistema de navegação do veículo permite localizar estações públicas de recarga em viagens e indica os pontos mais convenientes para que o motorista não precise se preocupar com a autonomia. (Da Redação, com informações do fabricante)

Comentários