Motor

Honda comemora 10 anos de produção do City no Brasil

A primeira geração do City como um sedã foi lançada na Tailândia em 1996
Honda comemora 10 anos de produção do City no Brasil
O Honda City inaugurou o segmento de sedãs compactos com acabamento superior, bom espaço interno e boa eficiência energética. Crédito da foto: Divulgação

O Honda City está comemorando em 2019 dez anos de produção nacional. A história do carro, entretanto, é mais antiga e começou há quase 40 anos no Exterior. Os primeiros modelos foram lançados em 1981, ainda como hatchback e ganhou uma versão sedã em 1996. O carro foi lançado no mercado brasileiro somente em 2009, em sua terceira geração global como sedã, o City já teve mais de 240 mil unidades produzidas no país desde seu lançamento. Em 2015, o modelo mudou de geração e, em 2018, o City recebeu uma profunda atualização no seu design e em equipamentos, tornando-se ainda mais completo, refinado e confortável para o consumidor.

História global

Em 1981 a Honda lançou no mercado a revolucionária marca City. Mas ainda não era o City da forma que o modelo é comercializado hoje. Compacto em dimensões externas, mas com um aproveitamento único de espaço interno, o modelo conquistou o mercado com diferentes opções de carroceria (hatch e conversível) e com um eficiente motor 1.2, que contava até com versões esportivas, com turbo. O modelo logo foi um sucesso, sendo exportado para diversos mercados. Sua segunda foi geração lançada em 1986, com um design mais moderno, mas ainda sendo um hatchback.

Leia mais  Seis maneiras de “fazer” dinheiro com seu carro
Honda comemora 10 anos de produção do City no Brasil
O primeiro Honda City brasileiro, lançado em 2009. Crédito da foto: Divulgação

A primeira geração do City como um sedã foi lançada na Tailândia em 1996. Usava como base o Civic — com todas as suas vantagens dinâmicas –e trazia motorizações 1.3 e 1.5. O modelo teve muito sucesso em mercados asiáticos como a Índia e a Tailândia.

A segunda geração do carro foi lançada em 2002 e foi uma grande revolução em relação ao primeiro modelo. Conquistou os consumidores pela praticidade e espaço interno, bem como pela ótima economia de combustível, já que passou a adotar a transmissão CVT nesta geração. Outros destaques eram o amplo porta-malas e a possibilidade de modularidade de bancos.

A chegada no Brasil

No mesmo momento em que o Honda City já ultrapassava 1.2 milhões de unidades comercializadas globalmente, em mais de 45 países, a Honda apresentava o modelo no Brasil, em sua terceira geração como sedã. Com um design completamente reformulado e um aproveitamento único de espaço interno em sua categoria, o City chegou ao mercado brasileiro oferecendo características de sedãs médios em um sedã compacto, sendo um sucesso instantâneo.

Leia mais  Bolt é o elétrico mais vendido no 1º semestre
Honda comemora 10 anos de produção do City no Brasil
A segunda geração do carro nacional saiu em 2015. Crédito da foto: Divulgação

A quarta geração global do City é lançada no Brasil, aprimorando valores base do modelo. Mais largo e mais comprido em dimensões e com um design ainda mais refinado, jovem e moderno, o City se consolidou como a melhor opção em seu segmento. Em 2018, o modelo recebeu significativas mudanças em design e em equipamentos, tornando-o um veículo ainda mais completo e atraente para o consumidor.

O City 2020 está disponível no mercado brasileiro em cinco versões: DX (manual), Personal, LX, EX e EXL (CVT). O modelo segue mantendo suas qualidades únicas em aproveitamento de espaço interno, sofisticação, conforto e eficiência energética. É oferecido com o motor 1.5 i-VTEC FlexOne, de até 116 cv. (Da Redação)

Comentários