ESPORTES

Solidariedade e confiança são os trunfos do Bentão


Dez jogos, 16 pontos, sexto colocado e único invicto no Campeonato Brasileiro da Série B -- e também entre as três principais divisões nacionais (A, B e C). Se o filme são-bentista retrocedesse cinco anos, em 2013, pouca gente acreditaria no roteiro atual, que vem passando de enredo para realidade cada vez mais absoluta. A boa fase na competição nacional, em especial, deve-se muito ao clima agradável e de confiança mútua dentro do grupo.

O bom ambiente foi um dos pontos tratados durante a coletiva de imprensa após a importante vitória por 2 a 1 diante do Fortaleza, líder da Série B, no último sábado, dentro de casa. "A solidariedade do nosso time é espetacular, todo mundo se doa um pelo outro. Podem até dizer que a gente é time pequeno sem a bola, que sabe sofrer. Mas quando temos a bola, não abdicamos de jogar", afirmou o volante Doriva, autor do segundo gol do confronto.

"O Corinthians, por exemplo, no meu modo de ver, joga como time pequeno também sem a bola e tem conquistado muitas coisas. O Romero é ídolo da torcida não tanto pelos gols que faz, mas sim pela entrega e dedicação que tem dentro de campo", comparou.

O técnico Paulo Roberto Santos também exemplificou a situação, citando o lateral-esquerdo Marcelo Cordeiro. Ele, que vinha de lesão, treinou apenas sete dias com o elenco e teve de substituir Paulinho, suspenso contra o Fortaleza.

"Eu queria agradecer a vocês. Quando o Paulo me perguntou se eu tinha condição de atuar os 90 minutos, eu não tive dúvida, porque tenho o apoio de vocês, então não preciso do apoio de mais ninguém. Se a gente quiser conquistar alguma coisa na vida, tem de ser assim, um confiando no outro, olhando na cara do outro e, lá dentro, fazendo por onde", disse Cordeiro, na reunião dos atletas pós-jogo, ainda nos vestiários, em vídeo divulgado nas redes sociais do clube.

O treinador ainda falou sobre Fábio Bahia, mantido no banco nos confrontos com o Figueirense e Boa Esporte. "Aqui, a importância de cada jogador não se discute. Mas, mais importante do que isso, os atletas sabem que não têm garantia de titularidade. Aqui não tem "biquinho", cara feia. Eles não fazem porque sabem que eu não aceito. E é por isso que as coisas têm dado certo", acrescentou.

Saídas de jogadores

Apesar do momento saudável do elenco, o Azulão comunicou no início da tarde desta segunda-feira (11), a saída de três atletas que não vinham sendo muito utilizados: o zagueiro Aislan foi desligado do clube e os atacantes Lúcio Flávio e Marquinhos tiveram os contratos rescindidos "em comum acordo", conforme nota divulgada pela assessoria de imprensa.