BRASIL

Australiano atropelado no Rio está internado em estado gravíssimo


 
Oito pessoas permanecem internadas neste sábado (20) em dois hospitais públicos do Rio. Elas foram atropeladas na noite de quinta (18) por Antonio de Almeida Anaquim, 41, em Copacabana, zona sul do Rio. O motorista perdeu a direção, subiu na ciclovia, atravessou o calçadão e só parou na areia da praia. Ele feriu 18 pessoas. Uma menina de oito meses morreu.
 
O corpo da criança foi enterrado neste sábado (20). De acordo com o boletim médico divulgado pela Prefeitura do Rio, o caso mais grave é de um australiano. Ele está internado em estado gravíssimo no Hospital Miguel Couto. O australiano, que é residente no Brasil, está na UTI, respirando por aparelhos. Outras quatro vítimas estão internadas no mesmo hospital. Todos estão em estado estável e serão submetidas a cirurgias ortopédicas na segunda (22).
 
Mais três pessoas estão internadas no Hospital Souza Aguiar por causa do atropelamento em massa em Copacabana. Duas foram operadas na sexta e se recuperam bem, segundo o boletim médico. Uma mulher de 32 anos, que sofreu uma fratura no braço, deverá ser transferida para hospital de alta complexidade em ortopedia nos próximos dias para fazer a cirurgia necessária.
 
Na delegacia, Anaquim disse ter sofrido um ataque epilético. A CNH (Carteira Nacional de Habilitação) dele já tinha sido cassada pelo Detran. Em maio de 2014, o Detran abriu processo de suspensão da carteira de Anaquim. No entanto, ele não cumpriu com a exigência de devolução da carteira para realizar o curso de reciclagem. O processo só foi concluído em fevereiro de 2017. Neste período, ele renovou a CNH e mentiu para órgão. Ao ser questionado se tinha epilepsia no processo de renovação da carteira, o motorista negou. Anaquim foi liberado na tarde de sexta (19). Ele responderá em liberdade por homicídio culposo -quando não há intenção de matar. (FOLHAPRESS)