ECONOMIA

Funcionários da Refriso buscam resolver impasse com a empresa


Uma reunião realizada nesta quinta-feira (18) na sede do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação e Afins de Sorocaba e Região (Sindalimento) tentou encontrar uma solução para os cerca de 170 funcionários da Refriso, fabricante do refrigerante Vedete, que teve cassada sua inscrição estadual por conta da falta de pagamento do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). A decisão, tomada pela Secretaria Estadual da Fazenda, foi publicada no Diário Oficial do dia 29 de novembro de 2017 e, desde então, a empresa está impossibilitada de vender seus produtos, por não conseguir emitir notas fiscais. A Refriso entrou na Justiça com um mandado de segurança contra a suspensão, porém o mesmo foi negado pelo juiz Evandro Carlos de Oliveira, da 7ª Vara de Fazenda Pública do Foro Central, no dia 13 de dezembro. A produção na fábrica está paralisada e os funcionários estão preocupados, pois temem perder seus empregos por conta da situação da empresa.

A reunião foi realizada na sede do Sindalimento, que fica na rua Piauí, em Sorocaba, e contou com a presença de um grupo de funcionários da Refriso e o presidente do sindicato da categoria, José Airton Oliveira, que não permitiu a entrada da imprensa na reunião. Segundo ele, os trabalhadores preferem não falar ainda sobre a situação, pois o sindicato, junto com eles, tenta encontrar uma saída para a questão. "Na segunda-feira (22) vamos nos reunir novamente, pois ainda não encontramos uma saída para a situação dos funcionários. Então, estamos verificando também algumas possibilidades com o nosso departamento jurídico para que os trabalhadores não sejam prejudicados", destaca Oliveira.

Segundo os funcionários, a produção na fábrica está parada e somente o setor administrativo da empresa está funcionando. O presidente do Sindalimento disse também que já teve algumas reuniões com representantes da Refriso, pois os funcionários afirmam que não receberam o 13º salário do ano passado. "Ainda não houve uma definição sobre o pagamento e estamos tentando uma solução para isso também e em busca da manutenção dos empregos", diz ele.

A reunião na próxima segunda deverá ocorrer novamente na sede do Sindalimento ou diretamente na sede da empresa, que fica avenida Nogueira Padilha, em Sorocaba. O horário ainda não foi definido.