SOROCABA E REGIÃO

Altos do Ipanema começará a receber famílias de áreas de risco


O residencial Altos do Ipanema teve, na sexta-feira (12), o último dia de mudanças na primeira etapa do cronograma estabelecido pela Prefeitura de Sorocaba. Na próxima etapa de mudanças, entre 15 e 29 de janeiro, 108 famílias residentes em áreas de risco começarão a ocupar seus imóveis no residencial. De acordo com a Prefeitura, uma "operação" foi planejada para demolir as moradias assim que as famílias deixarem o local, evitando a reocupação da área de risco.

Os trabalhos envolverão as Secretarias de Segurança e Defesa Civil, Habitação, Secretaria de Meio Ambiente, Secretaria de Conservação, Serviços Públicos e Obras; Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) e Companhia Paulista de Força e Luz (CPFL). A ação terá início no bairro Astúrias, e seguindo por áreas no Dalmatas, Jardim Europa, São Marcos, Itanguá, Esmeralda, Nova Esperança, Novo Horizonte, Laranjeiras e São Bento.

Desde o dia 2 de janeiro, quando os novos moradores começaram a se instalar, até a última quinta-feira (11), 1.263 famílias se mudaram, com a expectativa de chegar a 1.860 mudanças. Conforme explica a assistente social da Secretaria de Habitação (Sehab), Bianca Bottosso, aqueles que não conseguiram se mudar no dia determinado devem entrar em contato com o síndico de seu condomínio para agendar uma data adequada. A orientação é que os moradores ocupem as residências em até 30 dias.

O Altos do Ipanema tem 2.160 unidades habitacionais, mas parte das famílias inscritas ainda precisa regularizar a documentação para ter acesso ao apartamento.

Mudanças e familiarização

De acordo com a assistente social da Sehab, a avaliação é de que as mudanças ocorrem de forma tranquila. "De um modo geral, não tivemos intercorrências atípicas", afirma. Alguns problemas em casos pontuais teriam sido com o agendamento da ligação dos serviços de energia elétrica e água, atrasos, além de alguns moradores que teriam se confundido com as datas de mudanças.


Monize dos Santos Brito - EMIDIO MARQUES Monize dos Santos Brito - EMIDIO MARQUES


Para Monize dos Santos Brito, 27 anos, o dia da mudança foi muito aguardado. Ela conta que o filho acordou logo cedo perguntando se havia chegado o dia tão esperado para a família, que conta ainda com seu marido e mais um filho. O menino de 6 anos é cadeirante e, por isso, a família ocupará uma residência no andar térreo. "A gente nem acredita que está aqui", comemorou.


Marinele de Oliveira - EMIDIO MARQUES Marinele de Oliveira - EMIDIO MARQUES


Nas áreas comuns dos condomínios, muitos moradores ainda circulam com caixas e descartando embalagens de móveis. No entorno, ambulantes aproveitam para vender artigos para casa. O clima é de férias escolares, com crianças ocupando as quadras esportivas e playgrounds. "Estão se familiarizando", conta a moradora Marilene de Oliveira, 48 anos. Ela relata que os moradores têm se ajudado, especialmente o corpo diretivo e síndicos. "A estrutura está boa, por enquanto está tudo organizado", observa. Ela admite, porém, que o teste definitivo para a convivência será o tempo.