REFLEXÃO

Correr com o pé quebrado


Geraldo Bonadio

Em qualquer campo de atuação -- familiar, profissional, social -- você pouco pode fazer sem a cooperação dos outros: família, parentes, amigos, colegas de trabalho ou pessoas que compartilham de suas ideias. Nos bons e maus momentos carece da cooperação. Em grau maior ou menor, seu êxito e sobrevivência dependem de que a estima e lealdade deles equivalha à que você lhes dedica.

Construção de confiança mútua é tarefa longa e complexa. Só o tempo e as provações nos dão a certeza de que existe e é forte o suficiente para suportar os desafios.

A quem desconfia de todos falta equilíbrio. Àquele que em todos confia sobra ingenuidade. É indispensável usar o dom do discernimento, que Deus concede a todos, para alcançar o ponto de equilíbrio.

Nos dias serenos, avalie e selecione os que são dignos de confiança. Mantenha olhos abertos em relação à pessoa que, a todo momento, insiste em se proclamar seu amigo. Ela pode deixá-lo na mão assim que uma brisa mais forte indique que uma tempestade se aproxima.

Saiba que até os matreiros se enganam. Getúlio Vargas, o mais experiente político do Brasil em sua época, não desconfiou, em agosto de 1954, que dois homens muito próximos a ele -- o irmão mais novo, Benjamin, e o chefe da guarda pessoal, Gregório Fortunato -- tramavam um atentado político cujos desdobramentos gerariam sua morte.

Só na madrugada do decisivo dia 24 se deu conta de que os ministros militares iriam afastá-lo do poder e o mais forte deles negociava, às ocultas, a permanência no governo do sucessor. Confiou em quem não devia e pagou alto preço por isso.

"Confiar num homem que não merece confiança é como mastigar com dor de dente e apostar corrida com o pé quebrado."

Provérbios 25:19 A Bíblia Viva
Geraldo Bonadio é jornalista. geraldo.bonadio@gmail.com