SOROCABA E REGIÃO

Votorantim investiga a morte de três macacos em parque público


Atualizada às 12h07

Três macacos bugio foram encontrados mortos, no dia 1º de janeiro (segunda-feira), no Parque do Matão Jonas Domingues, em Votorantim. Os órgãos dos primatas foram encaminhados para análise no Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo. Os resultados serão divulgados no prazo de até 15 dias. O local está fechado pela Prefeitura de Votorantim.  

Segundo o titular da Secretaria do Meio Ambiente de Votorantim, Wilson Miramontes, por enquanto não há motivos para a população ficar preocupada. "Ele [macaco] pode ter morrido pela idade avançada, após uma briga entre grupos. Não há constatação de febre amarela", diz.

A Prefeitura informa ainda que a cidade não registra caso de febre amarela e a vacinação até o momento segue a rotina normal para as pessoas que viajam para as áreas consideradas de risco, com doses administradas às sextas-feiras pela manhã, na UBS do Parque Bela Vista. De acordo com a Vigilância municipal, se a causa da morte de um dos animais for por febre amarela, haverá vacinação e os critérios serão discutidos juntamente com a Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo e o Ministério da Saúde, seguindo os protocolos oficiais.    
 
O Parque do Matão fica na região do Parque Bela Vista, em uma área de 63 mil metros quadrados. Administrado pela Prefeitura de Votorantim, por meio da Secretaria do Meio Ambiente, o espaço abre todos os dias das 8h às 17h e desenvolve programas de educação ambiental, além de receber escolas para visita monitorada. De acordo com Miramontes, cerca de 40 macacos vivem na região.

A transmissão para macacos é da febre amarela silvestre, pelo mosquito haemagogus, comum na mata. Macacos, apesar de hospedeiros do vírus, não o transmitem à população - quem o faz são os mosquitos Aedes aegypti, após picarem alguém já infectado.

Casos de macacos contaminados foram registrados no ano passado na Região Metropolitana de Sorocaba. A lista inclui São Roque e Piedade.