PRESENÇA

20 anos do Momunes


O Movimento das Mulheres Negras de Sorocaba (Momunes) realizou, no último dia 25, um jantar em comemoração ao Dia da Consciência Negra -- ocasião que aproveitou para celebrar o aniversário de 20 anos da instituição, que é conhecida por acolher mulheres em vulnerabilidade social. “Começamos como um coral, para fazer um trabalho nas escolas de conscientização e autoestima da criança negra. Depois é que começamos a fazer o trabalho social, após entender o problema e dificuldade da mulher negra na sociedade”, contou Maria José de Almeida Lima, a Mazé Lima, fundadora da entidade. 
 
E, embora tenha nascido por uma ação do movimento negro, o Momunes ampliou o atendimento para brancas e trans no abrigo. “Nós queremos trabalhar pela mulher, sem nenhuma distinção, e respeitando as individualidades de cada uma”, afirmou a coordenadora técnica do abrigo, Cláudia Lima. Atualmente, no local, vivem oito mulheres, sendo três negras e cinco brancas. 
 
O evento contou com participação do Grupo de Maracatu Baque Mulher e do Grupo de SambaPais e Filhos. Teve ainda homenagem às ex-presidentes do movimento, que começou em 1997, e a algumas voluntárias e autoridades, como Maria Lúcia Amary.