CARTAS

Rua Santa Rosália


Em outubro de 1972, ou seja, há 45 anos, minha família e eu nos mudamos para a rua Santa Rosália, onde resido até hoje.

Naquela época, essa via guardava muito da tradição das ruas de bairro, pois embora fosse bem próxima ao centro, e de ligação aos bairros Vila Santana, Santa Rosália e adjacências, era uma rua totalmente residencial, com poucos comércios. Então, as famílias costumavam se reunir no final da tarde, ficando até a noite, todos sentados em banquinhos, cadeiras e até nos degraus dos portões para longas conversas, enquanto crianças e adolescentes corriam e brincavam. Lembro-me que, pasmem, jogávamos futebol na rua -- hoje temos que ter atenção triplicada para atravessá-la e olhe lá.

Nos finais de ano era muito bonito. Os vizinhos saíam quando chegava perto da meia-noite em 31 de dezembro, era confraternização, queima de fogos e tudo mais. Nos Carnavais também era muita alegria, a moçada fantasiada se preparando para os velhos bailes.

Eram tempos bons, de muita amizade, muito calor humano, nos quais logicamente a nossa cidade era bem menos populosa e o número de veículos nem se compara. Mas foram tempos de muita alegria, dos blocos carnavalescos que passavam nas ruas, das festas no Largo do Líder, praça onde a rua termina -- tudo isso era muito bom.

Um fato interessante que até hoje acontece é a confusão que pedestres e condutores fazem, achando que a rua Santa Rosália é a rua Aparecida, pois a segunda é continuação da rua Santa Rosália.

O tempo passou, Sorocaba cresceu e a nossa velha rua Santa Rosália se tornou um corredor comercial e principal ligação da região central com diversos bairros e acesso às principais rodovias. Mas isso não nos tira as saudosas lembranças daquele "glamour" interiorano tão rico na cultura de um povo.

REYNALDO JOSÉ D"ALESSANDRO