REFLEXÃO

O inesperado nem sempre é ruim


Geraldo Bonadio
 
"Homo proponit, sed Deus disponit." "O homem propõe, mas Deus dispõe" -- ensina, num dos livros mais conhecidos do Ocidente -- "A Imitação de Cristo" -- o asceta Thomas Kempis.

Rara é a pessoa que, em sua vida, não comprovou, uma ou mais vezes, a veracidade dessa afirmação. Ocorrências de última hora, absolutamente imprevisíveis, acabam dando um desfecho inesperado a assuntos que, em nosso entender, estavam total e definitivamente encaminhados: a oferta de emprego interessante, abruptamente retirada; o casamento cancelado após o encaminhamento dos convites e a chegada da maioria dos presentes; a viagem há muito planejada que não se concretizou porque um terremoto sacudiu o ponto de destino. Ver aspirações acalentadas durante anos a fio virarem fumaça, de um momento para outro é, sempre, doloroso e difícil de aceitar.

Curioso, entretanto, é que, ao reexaminarmos tais malogros, após um certo tempo, por vezes descobrimos que, ao dispor as coisas contrariamente ao que havíamos proposto, a mão de Deus, longe de nos castigar, estava nos abençoando. A empresa para a qual tanto queríamos trabalhar, faliu; quem se casou com seu ex-quase-futuro cônjuge desiludiu-se; a possibilidade de uma viagem para um local bem mais interessante emergiu -- e por aí a fora.

Em face do imprevisto, tenha sempre em mente que Deus o ama e dirige todas as coisas para o seu bem. Não se apavore nem se desespere em face do inesperado. Antes, reze com muita sinceridade o Pai Nosso, dando ênfase ao trecho em que pede ao Senhor que sua vontade e não a nossa prevaleça.

A seguir, reorganize seus planos e retome o trabalho, certo de que, da nova situação, haverá de colher mais proveitos do que prejuízos.

"Eu sei, Senhor, que não pertence ao homem o seu destino; não é dado ao homem, que caminha, dirigir seus passos!"

Jeremias 10:23 Bíblia Vozes
 
Geraldo Bonadio é jornalista.  geraldo.bonadio@gmail.com