CARTAS

Papel do professor


Neste fórum, em 27 de outubro, publicou-se o texto da leitora Mônica Manfrin Chryssocheri, que discorreu sobre seu desejo (realizado) de ser professora e fez menções sobre o universo de mestres e aprendizes. Sua carta aberta soma-se a outras tantas que, de tempos em tempos, exaltam o papel dos professores, com ênfase aos tempos complexos em que vivemos. É comum alguém dizer: "tiro o chapéu para o professor, eu não conseguiria exercer tal ofício".

Logo acima da carta da leitora, um pensamento estampado no devido espaço diário dedicado a máximas: "Só há um mundo e todos temos direito a ele", do filósofo camaronês Achille Mbembe.

Não precisa nem dizer da sincronia semântica entre os dois textos! Diante dos desafios cada vez maiores da vida social, fala-se nas rodas, da caixa de ressonância que é a escola, refletindo dolorosamente os efeitos de lares desarticulados e desatinos de uma sociedade massificada.

Aí, na mesma data, abro o suplemento Mais Cruzeiro e vejo com surpresa e orgulho a matéria assinada por Caroline Queiróz Tomaz (via programa de estágio), sobre a série "Stranger things". A aluna que tive há bem pouco tempo e que dizia ser seu grande objetivo estudar Jornalismo, ali estava presente em excelente e atrativo texto!

Jubilei. Eis o gosto maior que o professor pode ter: ver os jovens que passam pelos bancos escolares brilharem na realização de seus sonhos. Espero ainda ver muitos textos de Caroline Queiróz na grande seara do jornalismo. Vivas!
JORGE FACURY

DO FACEBOOK

São Bento recebe o São Paulo em estreia no Paulistão

Vou ter que fazer uma camisa metade São Bento e a outra metade São Paulo.
INGRID ALARCON

Espero que nesse Paulistão ninguém fale em empate quando o Bentão for jogar. Dá muito azar.
JOSÉ ALVES

No Paulista o objetivo é não cair. A grande meta para 2018 é subir para a Série A do Brasileiro.
RINALDO DE ASSIS

Sou são-paulino, mas nesse jogo sou São Bento.
EDMILSON GONZAGA