BRASIL

Protesto na Paulista é o maior ato político já registrado em São Paulo


O protesto contra a presidente Dilma Rousseff em São Paulo neste domingo (13) é o maior ato político já registrado na cidade, superando inclusive a principal manifestação pelas Diretas Já, em 1984. Segundo o Datafolha, em contagem parcial, cerca de 450 mil pessoas estavam presentes às 16h na região da avenida Paulista. O número definitivo ainda não foi divulgado. Na época do ato das Diretas, realizado no vale do Anhangabaú, foi divulgado que 1 milhão de participantes estiveram no evento. Cálculos feitos pelo Datafolha anos depois, no entanto, apontam que a região comportaria no máximo 400 mil pessoas. O número de manifestantes na avenida deve aumentar, uma vez que o protesto continuava após a medição.

O público presente representa mais que o dobro do registrado no maior ato contra a presidente até então, promovido em 15 de março de 2015. Naquela ocasião, 210 mil pessoas estiveram na Paulista, segundo o Datafolha. Diferentemente de protestos anteriores, neste domingo vias ao redor da avenida Paulista também ficaram tomadas, como a alameda Santos e parte da rua da Consolação. A Polícia Militar chegou a interromper o acesso à avenida em ao menos uma via. Na alameda Casa Branca, por exemplo, foi montado um bloqueio na esquina com a alameda Santos.

Os policiais permitiam apenas a saída do público. Segundo eles, a situação permanecerá assim enquanto a lotação não diminuir. No início da tarde, estações de metrô registravam extensas filas de manifestantes que se deslocavam para o protesto. Alguns atos sem ligação direta com a política que reuniram grandes públicos foram a Marcha para Jesus, em 2012, com 335 mil pessoas, e a Parada Gay, também em 2012, com 270 mil. Ambas as contagens são do Datafolha. (Folhapress)