Cultura

Projeto contemplado pela Linc oferece oficina de fotografia

“Wanda -- tecendo memórias” resultará em um webdocumentário com mulheres artistas que estão na Terceira Idade
Projeto oferece oficina de fotografia
Contemplado pela Linc, o projeto resultará em um webdocumentário. Crédito da foto: Divulgação

Evidenciar as experiências e afetividades da mulher como criadora e artista. Esse é o objetivo projeto “Wanda — tecendo memórias”, que resultará em um webdocumentário com mulheres artistas que estão na Terceira Idade.

Contemplado no edital 2018 da Lei de Incentivo à Cultura de Sorocaba (Linc), o projeto idealizado por Ana Rei, Lígia Alípio e Rosa Paiva está em fase de produção e, como ação de contrapartida, oferece nesta terça (23), das 13h30 às 17h, uma oficina de fotografia para mulheres nessa faixa etária. A atividade gratuita ocorre Pupa Eventos Criativos (rua Aparecida, 596) e para participar é necessário se inscrever antecipadamente pelo telefone (15) 99782-0081 ou pelo email wanda.webdoc@gmail.com. Não é necessário ter experiência com fotografia. A oficina propõe que também é possível fazer belos registros com o celular e haverá aparelhos disponíveis para quem precisar.

Leia mais  Sesc Sorocaba recebe o espetáculo musical 'Elza'

 

A ideia do projeto nasceu em meados de 2018, durante a residência artística “Encontro com o subterrâneo”, que reuniu cerca de 20 mulheres fotógrafas de Sorocaba e região e que resultou na exposição “Auto mar”, que ficou em cartaz em junho no saguão da Fundec. Entre as participantes estavam Wanda, Ana Rei, Lígia Alípio e Rosa Paiva, que elaboraram o projeto de webdocumentário, com o intuito de abordar a questão da memória como registro, mito e testemunho, no processo de envelhecimento fisiológico da mulher artista. Além disso, o trio reivindica a ocupação de espaços majoritariamente masculinos, como o da fotografia e do audiovisual, com equipe inteiramente composta por mulheres.

Rosa Paiva e Ana Rei contam que escolheram a fotografia por ser mais acessível e democrática e estar mais presente no dia-a-dia das pessoas. “É muito interessante propor isso para a mulher idosa, porque ela tem todas as questões que a idade traz, os trabalhos e a experiência que carrega. Há também a questão de como o corpo dela já foi e como está hoje. Somos lidas apenas pela nossa aparência. Quando chegamos numa certa idade, isso pesa de outra forma e precisamos continuar nos sentindo motivadas como criadoras”, detalha Ana Rei e Rosa Paiva. A atividade de hoje é a segunda oficina oferecida pelo projeto.

Comentários