Cultura Mais Cruzeiro

‘Peças fáceis’ abre a Mostra Téspis do Conservatório de Tatuí

Programação, que segue até sábado, dia 15, terá ainda “1989”, do Coletivo Cê
‘Peças fáceis’ abre a Mostra Téspis do Conservatório de Tatuí
Janice Vieira, uma das pioneiras da dança contemporânea no País, divide o palco com sua filha Andréia Nhur. Crédito da foto: Inês Correa / Divulgação

O espetáculo de dança “Peças fáceis”, do grupo sorocabano Pró-Posição, será apresentado nesta quarta-feira (12), às 20h, no Teatro Procópio Ferreira, em Tatuí, abrindo a programação da Mostra Téspis, do Conservatório Dramático e Musical Dr. Carlos de Campos. A programação prossegue até o dia 15, com mais cinco apresentações de grupos de Tatuí e região, todas com entrada gratuita.

Leia mais  Academia Dançart se apresenta no Shopping Cidade

 

O compartilhamento de saberes e afetos entre duas gerações da dança contemporânea brasileira é celebrado no espetáculo “Peças fáceis”, criado e apresentado por Janice Vieira, 78 anos, uma das pioneiras da dança contemporânea no País, e sua filha Andréia Nhur, de 36 anos. Em 2013, o grupo foi laureado com o Prêmio da APCA pela Pesquisa Continuada em Dança.

“Peças fáceis” foi finalista do Prêmio APCA em 2017 e é considerado pela dupla mais um espetáculo que une humor, poesia e engajamento político. O tema do espetáculo parte de um estudo “sonorocoreográfico” a partir de músicas (minuetos) de Johann Sebastian Bach (1685-1750) e Christian Petzold (1677-1733), obras que tanto Janice como Andréia tiveram contato ainda na infância. Essas composições de contraponto são frequentemente utilizadas no processo de aprendizado de instrumentos musicais.

Segundo a dupla, o espetáculo nasceu do desafio de trazer essas músicas ao palco através do corpo. Do corpo que dança e também do corpo que emite sons, já que toda música do espetáculo é produzida pelas próprias bailarinas em cena: seja cantando, tocando um instrumentos ou mesmo pelos sons percussivos emitidos pelo corpo, seus grunhidos ou suspiros. A composição “sonorocoreográfica”, segundo elas, se dá em duas vias que se retroalimentam: tanto no estímulo sonoro que reverbera no corpo, quanto no movimento corporal que reverbera no som, num amálgama vivenciado com liberdade nos corpos criativos das bailarinas.

No espetáculo, Andréia toca violão e pandeiro, já Janice, castanholas e acordeom. A dupla também canta.”Não somos cantoras ou instrumentistas visando excelência musical, mas bailarinas que musicam sua dança, na busca de um pensamento coreográfico que é sonoro e musical ao mesmo tempo”, reitera Andréia. Para a aclamada crítica de dança Helena Katz, a música entra em “Peças Fáceis” como “uma terceira presença”. “Um violão-corpo, um acordeom-corpo, um corpo-pandeiro, um corpo-castanhola”, pontua.

Nos 45 minutos de duração do espetáculo, além de fragmentos de Bach e Petzold, o repertório traz também referências a outras musicalidades: brasileira, portuguesa, espanhola, oriental, num fazer antropofágico, barroco, híbrido. “Peças Fáceis” propõe-se a um dançar polifônico e engajado profundamente com a pesquisa da linguagem da dança. A turnê de “Peças fáceis” conta com o apoio do Programa de Ação Cultural (ProAC), da Secretaria Estadual da Cultural, e passará ao todo por dez cidades de São Paulo.

Vale ressaltar que os laços familiares-artísticos aparecem também em outras contribuições em “Peças fáceis”. O músico Ramon Vieira — irmão de Andréia e filho de Janice — deu a consultoria rítmica do espetáculo. O diretor de teatro Roberto Gill — pai de Andréia e marido de Janice — fez todo o trabalho de iluminação e colaborou na concepção dramatúrgica. A peça ainda tem colaboração da bailarina Helena Bastos e da musicista Andrea Drigo.

Outros espetáculos

‘Peças fáceis’ abre a Mostra Téspis do Conservatório de Tatuí
O Coletivo Cê, de Votorantim, apresenta o espetáculo “1989” na sexta-feira, às 20h. Crédito da foto: Cau Perácio / Divulgação

Além de “Peças fáceis”, a Mostra Téspis exibe na quinta, dia 13, às 20h, o espetáculo “A incomum arte de não prestar pra nada”, da Nossa Trupe Teatral, de Tatuí. Na sexta, 14, às 16h, na sala preta — setor de artes cênicas do Conservatório — será apresentado “(Ab)surdo coração”, da Cia. Ímpares, também da cidade. Também na sexta, às 20h, no teatro Procópio Ferreira, o Coletivo Cê, de Votorantim, apresenta o espetáculo “1989”. No sábado, às 15h, o teatro recebe o espetáculo “Coisas do interior”, da Cia. Teatral Sarapós. Fechando a mostra no sábado, às 20h, o público poderá conferir a peça “Acima de qualquer suspeita”, da cia. Exodus Art’s, de Tatuí.

A Mostra Téspis, iniciada em 2015, tem como objetivos oferecer aos ex-alunos e estudantes de teatro do setor de Artes Cênicas troca de experiência, diversificada da rotina de estudos, focando a vivência com os profissionais atuantes no setor. O nome dado à mostra faz alusão ao grego Téspis de Ática, considerado o primeiro ator e também dramaturgo do Ocidente. Para todas as apresentações os ingressos gratuitos são distribuídos no local com uma hora de antecedência. O Conservatório de Tatuí fica na rua São Bento, 415, Centro. (Da Redação)

Comentários