fbpx
Cultura

Mostra na Fama, em Itu, aborda processo de criação artística

Exposição acontece em Itu e Fundação Marcos Amaro também inaugura espaço a céu aberto em Mairinque
Mostra na Fama aborda processo de criação
Um detalhe da obra “Ícaro”, do artista Gil, um dos expositores da mostra que abre hoje em Itu. Crédito da foto: Divulgação

Três sorocabanos e um iperoense estão dentre os 19 artistas visuais que participam da exposição coletiva “Meios e processos de criação”, que será aberta hoje, às 11h, na Fábrica de Artes Marcos Amaro (Fama), em Itu, espaço mantido pela Fundação Marcos Amaro (FMA).

Leia mais  Memórias são inspiração em ‘Aquilo que foge’, na Fama, em Itu

 

A mostra, que se constitui em um panorama plural sobre os diversos caminhos da criação, conta com trabalhos das sorocabanas Silvana Sarti e Eliete Della Violla, ambas vencedoras do Prêmio Flávio Gagliardi de Artes Visuais 2019, e Gil, também de Sorocaba, além de Fábio Florentino, de Iperó.

A exposição é o desdobramento de um curso ministrado pela artista e professora Katia Salvany, na Fábrica de Artes Marcos Amaro, que contou com oito encontros. Em comum, os artistas participantes são todos paulistas, nascidos nas cidades do interior ou mesmo na própria capital, e trazem como referência suas percepções do mundo que os rodeia. A curadoria é assinada por Katia Salvany em parceria com Ana Carolina Ralston.

Também participam da mostra Alexandre Silveira (Campinas); Dagô (Itu); Ilana Wajcberg (São Paulo); Bella Tozini (Cabreúva); Isis Gasparini (São Paulo); Larissa Camnev (Campinas); Lídice Salgot (Piracicaba); Luhly Abreu (Itu); Malu Pessoa Loeb (São Paulo); Marília Scarabello (Jundiai); Nathalia Favaro (São Paulo); Raffa Gomes (São Paulo); Silvana Sarti (Sorocaba); Stenio Oliveira (Campinas); Tangerina Bruno (Porto Ferreira) e Thatiana Cardoso (São Bernardo do Campo).

A exposição reúne obras inéditas com suportes variados. De pinturas a performances, passando por esculturas, desenhos, fotografias, videoarte e site specific, cada autor apresentou à curadoria uma rica gama de pensamentos e propostas, que elencou apenas um exemplar para contextualizar suas respectivas vivências na Fábrica, estabelecendo sempre uma relação entre o espaço usado durante o processo e sua obra final. A exposição pode ser vista de quarta-feira a domingo, de 10h às 17h, com entrada gratuita. O Fama Museu fica na rua Padre Bartolomeu Tadei, 09, na Vila São Francisco.

Fama Campo

Mostra na Fama aborda processo de criação
Trabalhos da sorocabana Silvana Sarti estão entre os de 19 artistas visuais na exposição coletiva. Crédito da foto: Divulgação

Também hoje, às 15h, a Fundação Marcos Amaro inaugura em Mairinque o Fama Campo. Extensão do museu Fama, o espaço com mais de 100 mil metros de área verde apresentará obras site specific em grandes dimensões, inspirado em uma nova forma de pensar os museus e inspirada na corrente artística dos anos 1960 do “land art”.

A primeira artista convidada a ocupar o terreno será Marcia Pastore, com a obra “Transposição”, um deslocamento e contenção de terra utilizando a técnica da taipa em que se usa o capim e um elemento mais recente, o cimento, para garantir a estrutura das paredes, de três metros de largura por 1,5 de altura.

Para Ricardo Resende, diretor artístico da Instituição, o desejo do Fama Campo, o museu a céu aberto quer provocar uma nova forma de olhar a arte contemporânea, de maneira a se permitir o deslumbramento de um museu sem muros, sem proteção do sol, do vento, da chuva, do mato, dos insetos e dos bichos.

O desejo do Fama Campo, segundo ele, “é andar e pensar a escultura a céu aberto de maneira a nos permitir o deslumbramento de um museu sem paredes, sem muros, sem proteção do sol, do vento, da chuva, do mato, dos insetos e dos bichos. Onde a arte esteja em total sintonia com as paisagens dada e modificada. Onde a escultura é transformadora e ao mesmo tempo é transformada pela natureza”.

O Fama Campo fica no Sítio Santa Clara, Bairro do Mato Dentro, em Mairinque. (Da Redação)

Comentários