fbpx
Cultura

Jornalista e poeta Zeca Corrêa Leite lança livros em Sorocaba

Radicado em Curitiba, autor retorna à sua cidade natal para sessões de autógrafo neste sábado
Zeca Corrêa Leite lança livros
Autor irá autografar as duas obras, uma para adultos e outra para crianças. Crédito da foto: Fábio Rogério (29/11/2019)

Radicado em Curitiba (PR) há quase quatro décadas, o jornalista e poeta sorocabano Zeca Corrêa Leite retorna à sua cidade natal para participar de sessões de autógrafo neste sábado (30), das 18h30 às 20h, durante a inauguração do Ateliê Serpente (rua da Penha, 10.92).

Leia mais  Crianças produzem livros artesanais em escola de Sorocaba

 

Na ocasião, o escritor lançará dois livros: “O velho e alguns escritos”, para adultos, e “Pequenos poemas traquinas”, para as crianças. Ambos estarão à venda ao valor de R$ 20 cada.

Às 20h30 haverá apresentação da cantora e violonista Menian Miranda.“O velho e alguns escritos” evidencia no título da obra o poema “O velho” que ocupa 31 das 102 páginas do volume. A obra narra o embate de um homem em idade avançada que caminha para dentro de si, trazendo à tona certezas e fragilidades. A princípio aparentemente ranzinza e insensível (“não quero que venham sentar-se à mesa para me fazer companhia”), o velho acaba se revelando o oposto, à medida que se desnuda nas confissões. “Não é uma tarefa fácil: contradições, lirismo e fantasia misturam-se em sua personalidade”, admite o autor.

No livro, Zeca explica ter escrito “O velho” para um ator curitibano, que certa vez lhe pedira alguns textos, mas não foi atendido. Porém, anos depois a convite de uma atriz, produziu um conjunto de poemas que deram origem ao monólogo “Quinhentas vozes”, peça premiada em seis categorias com o Troféu Gralha Azul — Prêmio Governador do Estado. “O velho e alguns escritos” traz ilustrações de Heliana Grudzien e apresentação do jornalista José Carlos Fernandes.

Para as crianças

O autor também lançará “Pequenos poemas traquinas”, destinado ao público infantil. “São um convite informal para os pequenos adentrarem num dos caminhos da literatura: a poesia”, afirma.

O livro de 24 páginas reúne 33 poesias sobre temas variados que vão de família a bichos de estimação, passando pelo o escuro da noite, a lua e um relógio maluco. Destinados ao público infantil, os “poemas traquinas” são textos breves compostos de modo a propiciar aos pequenos leitores (ou ouvintes) melhor compreensão.

As ilustrações são de Márcia Széliga. O autor assinala que o livro se propõe a levar a um público específico, em fase de aprendizagem da leitura, ou ainda não alfabetizado, a delicadeza poética cujos textos inserem-se ao seu mundo com recortes do cotidiano, porém onde o elemento lúdico é determinante.

O autor

Zeca Corrêa Leite, à época de estudante, publicou “Asilo de surdos”, com mais três amigos; participou das antologias poéticas “Sala 17”, “Reis magros”, “Feiticeiro inventor” e “Antologia da nova poesia brasileira”.

Quando ainda morava em Sorocaba participou do I Festival Regional de Poesia, em 1969. Ficou em segundo lugar com o poema “E a porteira bateu!”. No ano seguinte foi o primeiro colocado no 2º Concurso de Artes de Tatuí, com “Flores na noite” e “Busca em horas noturnas”. Em 1972 classificou-se no evento poético promovido pela Faculdade de Direito de Sorocaba, com “Complexidade de uma paisagem”. (Felipe Shikama)

Comentários