fbpx
Cultura

Jornada do Patrimônio de Sorocaba debate a importância de preservar

1ª Jornada do Patrimônio de Sorocaba prossegue até o dia 16 com mais de 40 atividades gratuitas
Sorocaba debate a importância de conhecer e preservar
Entre as atividades será realizada uma visita guiada ao santuário e bairro de Aparecidinha. Crédito da foto: Emidio Marques / Arquivo JCS (19/8/2019)

“Conhecer para preservar” é o tema da 1ª Jornada do Patrimônio de Sorocaba que começa nesta sexta-feira (8) — e prossegue até o dia 16 — com mais de 40 atividades gratuitas. Serão realizados seminários, roteiros, visitas guiadas, exibições de filmes, exposições artísticas, performances e apresentações musicais.

Leia mais  Atividades sobre a identidade cultural de Sorocaba começam nesta sexta

 

Algumas atividades têm vagas limitadas e demandam de inscrição prévia, que deve ser feita pelo site www.jornadapatrimoniosorocaba.com.br, onde também está disponível a programação completa.

Segundo a arquiteta Maíra Sfeir, integrante da comissão organizadora, o evento é inspirado na Jornada do Patrimônio da capital paulista, que em agosto deste ano chegou à 5ª edição, e tem como finalidade proporcionar ao público em geral — há atividades para todas as idades — oportunidades para apreciação de sua história, lugares e paisagens, edificações, formas de expressão, entre outros elementos que compõem a identidade cultural da cidade.

“Para esta primeira edição escolhemos um tema introdutório [‘Conhecer para preservar’], pois primeiro as pessoas precisam entender, conhecer, reconhecer o patrimônio para ter vontade de preservar. A ideia é que, nas próximas edições, a gente vá aprofundando mais no assunto”, afirma.

A abertura oficial ocorre hoje, às 9h, no auditório da Secretaria de Igualdade e Assistência Social (rua Santa Cruz, 116, Centro), com o seminário “Conhecer para preservar”, que terá três paineis com presença de pesquisadores que são referência no assunto.

O primeiro painel, das 9h30 às 11h15, intitulado “Patrimônio cultural — da preservação às tutelas protetivas”, terá presença da professora Ana Villanueva e a advogada Grace Carreira.

O seminário prossegue à tarde, das 13h às 14h45, e o assunto será o patrimônio imaterial, com o painel “Patrimônio imaterial: o que é e como proteger?”. Marcos Monteiro Rabelo trará um panorama geral sobre o tema, atrelado à sua experiência com o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Em seguida, Marcela Bonetti contará sobre a forma como a Prefeitura de Campinas vem lidando com a preservação do patrimônio imaterial.

Já entre 15h15 e 17h, o auditório da Sias recebe o painel “Reflexões sobre as políticas de preservação do patrimônio de Sorocaba”, no qual o convidados explanarão sobre a situação do patrimônio cultural da cidade. Ao final, será lançada uma carta-manifesto acerca do diagnóstico da situação do patrimônio cultural e sugestões para implantação de política pública.

Vasta programação

Dentre os as atividades que integram a extensa programação, Maíra destaca a palestra do arquiteto Pedro Mendes da Rocha, responsável pelo projeto de modernização do Museu de Arte Contemporânea de Sorocaba (Macs); a visita guiada ao santuário e bairro de Aparecidinha e a exibição do filme “Cafundó”, dirigido por Paulo Betti e inspirada na história de João de Camargo, ex-escravo e “milagreiro”de Sorocaba.

A palestra de Mendes da Rocha ocorre sábado (9), às 14h, no Macs (avenida Dr. Afonso Vergueiro, 280, Centro). O longa “Cafundó” será projetado também amanhã, às 19h, na fachada da Casa 52, Jardim Maylasky, em frente à antiga estação ferroviária. Já a visita à Aparecidinha será no dia 16, das 14h às 15h30, e as inscrições devem ser feitas no site (limite de 20 vagas).

O evento também visa promover um resgate histórico e o despertar para o legado artístico-cultural presentes em bens materiais e imateriais, reveladores da identidade sorocabana e, a partir desse movimento, gerar a valorização e a preservação do patrimônio da cidade.

Toda a programação teve curadoria coletiva da comissão organizadora, formada por voluntários da sociedade civil e do representantes poder público por meio de um chamamento da Secretaria da Cultura (Secult), feito no final de julho.

A ideia inicial da pasta era que o evento fosse realizado com recursos de uma emenda impositiva da vereadora Fernanda Garcia (Psol), no valor de R$ 48.750, destinado para atingir uma das metas referentes à preservação de patrimônio do Plano Municipal de Cultura (PMC).

No entanto, apesar de todo o engajamento da comissão, que já havia formado parceria com associações, entidades e instituições de ensino, esses recursos não foram liberados até o momento e, por isso, parte das atividades previstas precisou ser reformulada.

As instituições parceiras da 1ª Jornada do Patrimônio de Sorocaba são Unip; Uniso; Ufscar; Facens; Sorocabana – Movimento de Preservação Ferroviária; Mosteiro de São Bento; Associação Comercial de Sorocaba (Acso); Sesc Sorocaba; Nobel; Coletivo Rua; Suindá — Coletivo Literário; Fopecs — Fórum Permanente de Cultura; Conselho Municipal de Políticas Culturais; Conselho Municipal de Patrimônio Histórico e Conselho Municipal de Turismo. (Felipe Shikama)

Comentários