Cultura

Janice Vieira e Andréia Nhur apresentam ‘Peças fáceis’

Apresentação ocorre sábado (10), às 20h, no Parque da Autonomia, em Votorantim
Espetáculo Peças Fáceis
A produção foi finalista na categoria de Melhor Espetáculo de 2017 pelo Prêmio APCA – Foto: Paola Bertolini/Divulgação

O premiado espetáculo de dança “Peças fáceis”, das bailarinas sorocabanas Janice Vieira e a filha Andréia Nhur, poderá ser conferido na região em única apresentação que ocorre sábado (10), às 20h, no Parque da Autonomia, em Votorantim.

“Peças fáceis” rendeu prêmio de Melhor Intérprete para Andréia Nhur no Prêmio Denilto Gomes de 2017 e foi finalista na categoria de Melhor Espetáculo de 2017 pelo Prêmio APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte). O espetáculo circula com o apoio do Programa de Ação Cultural (ProAC), da Secretaria Estadual da Cultural. No domingo, às 10h30, as artistas oferecem o workshop “Dança sonora para terceira idade” com entrada gratuitas e aberta a todos os interessados.

Leia mais  'Breaking Bad', aclamada série de Vince Gilligan, pode virar filme

 

O espetáculo tem como referências algumas das peças de Johann Sebastian Bach (1685-1750) e Christian Petzold (1677-1733) organizadas por Bach e sua esposa, Anna Magdalena Bach (1701-1770) no “Pequeno Livro de Anna Magdalena Bach”. Músicas de contraponto, muito utilizadas no aprendizado de instrumentos, serviram como material de estudos para Janice Vieira em sua formação como acordeonista, além de guiar Andréia em suas experiências com violão erudito na infância.

A partir desta memória musical comum, mãe e filha iniciaram o processo de criação do espetáculo, o quinto em que trabalham juntas, pelo Grupo Pró-Posição. “Depois de tudo que criamos juntas, quisemos olhar para o que mais poderia ser extraído da nossa parceria. Um ponto de partida para nossa dança é a música como uma presença sempre constante e também a investigação do que ela faz com o corpo que dança”, diz Andréia.

Leia mais  Estado lança o edital de premiação Pontos de Cultura

 

No espetáculo, definido pela dupla como “plataforma sonorocoreográfica”, os minuetos de Bach e Petzold são experimentados com violão e pandeiro por Andreia e com castanholas e acordeom por Janice. As artistas também usam a voz em momentos solos e conjuntos.

Além de construírem em cena uma trajetória afetiva — assinatura dos seus trabalhos — as artistas também criam uma discussão sobre a própria linguagem barroca, que tem em sua concepção um impacto entre diferentes culturas do mundo inteiro. “Desses minuetos, que são formalistas em sua estrutura, vamos para o canto sefardita (termo referente aos descendentes de judeus originários de Portugal e Espanha) e até para o coco nordestino, sempre em busca do que pode haver entre o som que emitimos e o corpo”, diz Andreia.

“Peças fáceis” tem colaboração de Roberto Gill Camargo, diretor de teatro, dramaturgo e iluminador. Pai de Andreia e esposo de Janice, Gill trouxe à cena uma luz atmosférica, sem foco específico e que parte do branco até o âmbar.

Serviço

“Peças fáceis”
Sábado (10), 20h
Parque da Autonomia (rua João Gugoni, 26, Jardim Icatu)
ingressos R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia) — serão vendidos no local

Comentários

Sobre o Autor

Online