Cultura

Grupo Katharsis estreia ‘Le Monde’ neste final de semana

Peça, com produção e direção de Roberto Gill Camargo, reflete sobre a relação do homem com o mundo
Grupo Katharsis estreia hoje ‘Le Monde’
“Fizemos um espetáculo para ser compreensível, mas não necessariamente interpretável”, diz Roberto Gil Camargo sobre a nova montagem do Katharsis. Crédito da foto: Paola Bertolini / Divulgação

O grupo teatral Katharsis, da Universidade de Sorocaba (Uniso), estreia seu novo espetáculo, “Le Monde”, neste final de semana. A montagem é resultado do projeto “Teatralidades líquidas”, contemplado pela Linc 2018, e retoma o estilo do grupo de aproveitar uma variedade de motivos para falar do mundo atual e do sujeito contemporâneo.

Leia mais  Grupo Katharsis estreia nova peça ‘Estação paraíso’

 

Segundo o coordenador do Katharsis, Roberto Gill Camargo, que assina a produção e direção do espetáculo, esse trabalho dá continuidade às pesquisas do grupo, em que a narrativa se constrói a partir da coevolução das três energias fundamentais da cena: o ator, a luz e o som.

Em Le Monde, a tônica recai sobre os processos de controle que aprisionam as diferenças individuais em função — única e exclusivamente — do capital. Fala-se de um poder que disciplina e encarcera os corpos, mas não as ideias, que fluem incontrolavelmente pelas fissuras.

Enquanto as máquinas processam as conexões, há um planeta irrespirável, que se deteriora sem perspectivas quanto ao futuro da biosfera; dentro dele um homem que não se preocupa mais com a disciplina porque o que passa a valer é o controle dos mapas, das senhas, das câmeras de segurança, dos micropoderes instalados por todas as partes e centralizados no capital.

Questões como essas serviram de reflexão e de base para o Katharsis criar cenas que se encadeiam em busca de uma narrativa livre e simbólica sobre o homem e o mundo. O tema de fundo se apresenta com uma tessitura cênica que valoriza a transitividade e a impermanência dos sentidos.

“Fizemos um espetáculo para ser compreensível, mas não necessariamente interpretável. Afinal, vivemos todos no mesmo mundo e na mesma época: livres, mas vigiados; cúmplices e comprometidos com o sucesso de nosso empreendimento”, diz Roberto Gill Camargo.

“Le Monde” será encenada em todos os sábados e domingos de outubro, sempre às 19h. Convites gratuitos podem ser retirados, a partir das 18h, no próprio local da apresentação — que será no Salão Vermelho do câmpus Trujillo (avenida General Osório, 35 – Sorocaba). A indicação é livre. (Da Redação)

Comentários