fbpx
Cultura

Festival de Jazz e show de Liniker são destaques de outubro no Sesc

Programação do mês na unidade tem ainda CineCafé com filmes russos, teatro e dança
Festival de Jazz e show de Liniker são destaques no Sesc
A Nelson Ayres Big Band será atração do dia 26, dentro da programação do Festival Sesc Jazz. Crédito da foto: Paulo Ropoport / Divulgação

O show de Liniker e os Caramelows, que ocorre no próximo fim de semana, e a segunda edição do Festival Sesc Jazz, a partir do dia 24, são os destaques da programação de outubro do Sesc Sorocaba. A unidade recebe, ainda, mostra de filmes russos e espetáculos de teatro, circo e de dança.

Leia mais  Ana Cañas apresenta composições autorais em ‘Todxs’, no Sesc

 

O palco do ginásio recebe Liniker e os Caramelows no domingo. O grupo apresentará músicas de seu novo disco “Goela abaixo”, lançado em 2019, além de sucessos da carreira como “Zero”, “Tua” e “Sem nome, mas com endereço”. Após “Remonta” (2016), o segundo álbum, que foi concebido na estrada — entre 2016 e 2018, quando o grupo passou por mais de 20 países. Os ingressos, disponíveis até o fechamento desta edição, custam R$ 30 (inteira) e podem ser adquiridos na Central de Atendimento e pelo site.

Sesc Jazz

A segunda edição do Festival Sesc Jazz (antigo Festival Sesc Jazz e Blues) também chegará a Sorocaba — uma das nove unidades do Estado de São Paulo que recebem a programação — e traz um panorama da produção contemporânea do jazz, gênero de origem norte-americana cultivado em diversos cantos do mundo e caracterizado pela total liberdade e criatividade. Em todo Estado, ao longo de três semanas, serão 81 apresentações de 26 artistas diferentes, de quatro continentes, originários de 12 países. O festival passará também pelo Sesc Pompeia, Guarulhos, Santos, Araraquara, Bauru, Jundiaí, Piracicaba e Ribeirão Preto.

Em Sorocaba, o festival será aberto no dia 24, às 20h, com shows do trio do pianista suíço Marc Perrenoud e do lendário gaitista brasileiro Maurício Einhorn. Perrenoud, que se apresentará ao lado do baixista alemão Marco Müller e o baterista suíço Cyril Regamey, promete apresentar em primeira mão composições de seu quinto álbum, ainda sem título.

Festival de Jazz e show de Liniker são destaques no Sesc
Liniker e os Caramelows levam a música black e soul ao palco do ginásio no próximo domingo. Crédito da foto: Divulgação

Representante brasileiro do afrofuturismo — movimento que mescla tradições africanas com ficção científica e fantasia para rever o passado negro e criar novas narrativas –, o pianista Jonathan Ferr tocará com o seu grupo no dia 25, abrindo para o cantor e tecladista norte-americano Lonnie Holley.

No dia 26, às 19h, o público sorocabano terá a chance de prestigiar o som da Nelson Ayres Big Band, comandada pelo maestro e pianista Nelson Ayres, um dos mais influentes nomes do jazz brasileiro de todos os tempos. Na sequência, o teatro do Sesc recebe a baterista cubana Yissy García & Bandancha. Filha de Bernardo García, cofundador da Irakere, uma das mais importantes bandas cubanas, Yissy García teve os primeiros contatos com o jazz a partir das fitas cassete trazidas pelo pai de viagens aos Estados Unidos, onde conheceu o pianista Herbie Hancock e iniciou a formação musical que define o seu trabalho.

Já no dia 27, fechando a programação, o Sesc Jazz promove recebe o Women’s Improvising Group, grupo formado exclusivamente por instrumentistas mulheres, criado para enfrentar um lineup só com homens em festival londrino dos anos 1970.

Além dos shows, Sorocaba também receberá a oficina “Como ouvir jazz sem medo”, com o prestigiado jornalista e crítico musical Carlos Calado. A atividade gratuita ocorre no dia 23, às 19h, e os ingressos serão distribuídos com uma hora de antecedência.

O valor dos ingressos para os shows variam entre R$ 40 e R$ 50 (inteiras) e esses começam a ser vendidos hoje, às 19h, no site www.sescsp.org.br e amanhã, a partir das 17h30, nas bilheterias das unidades do Sesc São Paulo.

Cinema russo

Neste mês de outubro, o projeto CineCafé será dedicado à exibição de filmes russos que revolucionaram a linguagem do cinema em âmbito mundial. A mostra está integrada à exposição “Vkhutemas: O Futuro em Construção (1918 2018)”, que entra em cartaz no próximo dia 8. As sessões ocorrem sempre às terças, às 19h, no teatro da unidade com entrada gratuita. Os ingressos devem ser retirados com uma hora de antecedência. Após as sessões, ocorre o “Cinema em reflexão”, conduzido por Neide Jallageas, artista visual, curadora e pesquisadora do cinema russo.

Festival de Jazz e show de Liniker são destaques no Sesc
O CineCafé dedicado à exibição de filmes russos abre hoje com “Dovlatov”. Crédito da foto: Divulgação

A mostra será aberta nesta terça (1º) com “Dovlatov”, de Alexey German Jr. O filme retrata seis dias na vida do escritor e jornalista Sergei Dovlatov que, durante anos, enfrentou a rígida política de censura da União Soviética. Enquanto se depara com artistas de todas as áreas a serem obrigados a sair do país — entre eles o seu grande amigo Joseph Brodsky, que viria a receber o Nobel de Literatura em 1987 –, Dovlatov tenta levar uma vida normal junto de Elena e Katya, a mulher e filha. Apesar da frustração e angústia de ver os seus manuscritos constantemente rejeitados, não pretende ceder ao conformismo.

No dia 8 será a vez de “Verão”, de Kirill Serebrennikov. Dia 15 o público poderá conferir “Aelita, a rainha de Marte”, de Yakov Protazanov. Já no 22, será a vez de “As aventuras extraordinárias de Mr. West no País dos Bolcheviques”, de Lev Kuleshov, também de 1924. Fechando a mostra, no dia 29, o CineCafé exibe “O encouraçado Potemkin”, de Serguei Eisenstein, de 1925.

Música e teatro

Já o projeto Som na Área recebe neste mês na próxima sexta-feira, dia 4, a banda Chavala Talhada, que mistura rock, samba, ska e reggae. Já no dia 18, às 20h, será a vez a cantora e compositora, Jô Moura, se apresenta com o show “Tempo de brilhar”. Ambas as apresentações ocorrem Área de Convivência da unidade, com entrada gratuita.

Na área teatral, o destaque do mês é o espetáculo “Tubarão banguela”, do grupo Rima Coletiva, que será encenado dia 19, às 20h. Os ingressos custam R$ 30 (inteira). Já na linguagem da dança, a opção deste mês é o espetáculo “Un ange passa-passa ou Entre les lignes il y a un monde”, da Cie. À fleur de peau, que será apresentado no dia 11 (sexta), às 20h, no teatro da unidade. Apresentado pelos bailarinos Denise Namura e Michael Bugdahn, o espetáculo faz questionamentos sobre a importância de uma comunicação além das palavras. Os ingressos custam R$ 20 (inteira). (Felipe Shikama)

Comentários

CLASSICRUZEIRO