Cultura

Duo reinventa o tradicional voz e violão no Sesc Sorocaba

A cantora Danielle Domingos e o guitarrista Fábio Leal apresentam “Aracê”, com 11 composições autorais
Duo reinventa o tradicional voz e violão
Danielle Domingos e Fábio Leal firmaram parceria para o duo em 2010, em Tatuí. Crédito da foto: Divulgação

Formação já tradicional na música brasileira, voz e violão têm sonoridade reinventada no álbum de estreia da cantora Danielle Domingos e do guitarrista Fábio Leal. O duo faz show de lançamento do disco “Aracê” nesta quinta-feira (12), às 20h, no teatro do Sesc Sorocaba.

Os ingressos, disponíveis até o fechamento desta edição, custam R$ 20 (inteira), R$ 10 (meia) e R$ 6 (credenciados no Sesc) podem ser adquiridos na Central de Atendimento da unidade (rua Barão de Piratininga, 555, Jardim Faculdade). A classificação etária é livre.

Leia mais  Cinecafé terá sessões de filmes nacionais no Sesc Sorocaba

 

Já disponível nas principais plataformas de música digital, “Aracê” reúne 11 composições autorais inéditas, que passeiam por diferentes ritmos brasileiros como baião, maracatu, coco, samba, choro, bumba-meu-boi, frevo, chamamé e moda de viola. “Aracê”, que significa amanhecer em guarani, será apresentado na íntegra no show de amanhã. O repertório contará ainda com canções inéditas, já que o disco foi gravado em 2016, no Estúdio Arsis, pelo renomado engenheiro de som Adonias Jr.

Fábio Leal assinala que por ser minimalista, esta formação impõe a desafiadora arte de identificar intuitivamente quais espaços estão ali a serem preenchidos pela guitarra e quais espaços estão a serem dados a Danielle. O músico acrescenta que o fato da guitarra emitir massa sonora muito menos densa do que a do piano, por exemplo, o faz querer buscar outros diferenciais capazes de “deixar o som grande”. “Tento compensar com outra coisa que se chama swing”, afirma.

Inspiração

Inspirado em parcerias históricas para essa formação, como Elizeth Cardoso e Raphael Rabello, Sarah Vaughan e Hélio Delmiro, César Camargo Mariano e Nana Caymmi, o duo foi formado 2010 em Tatuí, com a proposta de interpretar canções consagradas da MPB de nomes como Milton Nascimento, Dorival Caymmi, Luiz Gonzaga e Dominguinhos.

À época, Fábio Leal era professor de guitarra e de prática em conjunto, do Conservatório de Tatuí, e estava em busca de uma parceira musical com quem pudesse aprofundar sua pesquisa de acompanhamentos com ritmos brasileiros estilizados, que na guitarra são executados com a mão direita. Daí a reinvenção da sonoridade do duo, visto que, diferentemente de outros duetos, o instrumentista não atua meramente como acompanhador, e sim como um norte, inspirador de uma interação musical espontânea.

Além de sua voz delicada e potente, o professor encontrou em Danielle, uma jovem aluna recém-chegada de São Paulo, a musicalidade ímpar e a paixão incondicional pela música, consolidando o duo entre os seus projetos principais, ao lado de Fábio Leal Quinteto e o grupo Brazú Quintê, também com elogiados discos já lançados. “Sempre gostei de andar com gente que tem amor pela música e a Dani é uma dessas. Até hoje ela tem um brilho no olho pela música”, afirma o guitarrista.

Danielle, que depois de se formar no Conservatório de Tatuí, decidiu trocar o modo de vida caótico da capital pelo sossego do interior e se mudou para Sorocaba — onde dá aulas de canto e desenvolve outros projetos musicais — comenta que as composições autorais foram nascendo naturalmente, a maior parte em parceria.

O duo, que já tocou no palco do 7º Encontro Internacional Jazz a la Calle, do Uruguai, ganhou ainda mais afinidade ao longo de duas temporadas do projeto “Ideias sobre a música brasileira”, que levou Danielle Domingos e Fábio Leal por dezenas de unidades do Sesi-SP fazendo concertos didáticos baseados no cancioneiro popular brasileiro e explicando conceitos musicais como ritmo e melodia. “Essa pesquisa de música brasileira que a gente faz é contínua e muito abrangente. Tem influência de tudo que a gente ouve, principalmente de ritmos regionais. É pensar a música brasileira sem limites”, complementa Dani. (Felipe Shikama)

Comentários

CLASSICRUZEIRO