Cultura

Doria anuncia início das obras de restauro do Museu do Ipiranga

Segundo Doria, as obras serão concluídas até 7 de setembro de 2022
Doria anuncia início das obras de restauro do Museu do Ipiranga
Governador do Estado de São Paulo, João Doria, no início das obras de recuperação do Museu do Ipiranga. Governo do Estado de São Paulo (7/9/2019)

De fora, os aplausos e o vaivém de empresários e autoridades no Museu do Ipiranga chamaram a atenção de quem foi ao Parque da Independência neste sábado (7), na zona sul de São Paulo. Os mais curiosos se aproximavam e perguntavam se era possível visitar o espaço, no que eram respondidos com um “é evento fechado”.

O evento em questão era a cerimônia de autorização do início das obras de restauro, reforma e ampliação do museu, fechado desde agosto de 2013. O anúncio foi feito à imprensa em frente ao edifício pelo governador João Doria (PSDB), que usava um boné branco com os dizeres “Novo Museu do Ipiranga”.

Segundo Doria, as obras serão iniciadas “nesta semana” e concluídas até 7 de setembro de 2022, bicentenário da independência do País. Ele disse mais uma vez que os R$ 140 milhões necessários para o restauro do museu e do parque foram obtidos integralmente com a iniciativa privada, em parte por leis de incentivo à cultura. Também ressaltou que estão assegurados recursos privados para melhorias no Parque da Independência e a despoluição do Córrego do Ipiranga.

No anúncio, o governador afirmou que a Universidade de São Paulo (USP) continuará com a gestão do museu após a reabertura, mas “sem nenhum dinheiro público”. “O museu tem que ser autossuficiente, não pode ser um museu sustentado pelo governo. Ele tem que seguir o mesmo padrão dos museus americanos, onde com ingresso, com eventos, com locação de áreas fora do uso regular e com os direitos autorais também, ele possa ser sustentável.”

A reforma e restauro internos e a construção de um subsolo com a nova entrada pelo Parque da Independência estão orçados em R$ 120 milhões. O projeto prevê acesso ao museu por duas escadas rolantes e um elevador. Outros R$ 40 milhões dizem respeito a mobiliário, revestimento, equipamento de segurança, sinalização e outros.

Doria critica Crivella

Na ocasião, o governador também declarou que o prefeito do Rio, Marcelo Crivella (PRB), “exagerou” ao determinar o recolhimento do HQ Vingadores – A Cruzadas das Crianças, que traz um beijo entre dois personagens masculinos. “Foi além do que poderia ter ido, mas não deixo de respeitá-lo”, disse Doria, que não quis usar o termo censura.

Doria alegou que a situação não pode ser comparada ao recolhimento de livros didáticos que determinou na rede estadual de Educação, anunciado na terça-feira, 3. O material trazia um texto sobre diversidade sexual e de identidade de gênero. “Aquilo contrariava o currículo no Estado de São Paulo”, disse o governador. (Estadão Conteúdo)

Leia mais  Antiga fábrica têxtil em Itu recebe trabalhos de Bispo do Rosário
Comentários

CLASSICRUZEIRO