Cultura

Com show emocionante, Bon Jovi passa por SP antes de mais um Rock in Rio

Apresentação da turnê “This house is not for sale” mostrou, mais uma vez, o carisma de Jon e seus companheiros de estrada
Antes de São Paulo, Bonn Jovi fez show em Recife, no domingo, abrindo a passagem pelo Brasil. Crédito da foto: Lou Morreale / Divulgação

Um estádio lotado para receber Bon Jovi, em São Paulo, já virou tradição. Assim foi, mais uma vez, na noite desta quarta-feira (25), na única apresentação que o cantor e sua banda fizeram, na capital paulista, durante passagem pelo Brasil este ano. A próxima parada do show da turnê “This house is not for sale” será o Palco Mundo, do Rock in Rio, no próximo domingo, dia 29.

Jon e seus companheiros de estrada — Tico Torres, David Bryan, Phil X e Hugh McDonald — parecem estar seguindo a trilha de muitos astros que, mesmo com o passar das décadas, surpreendem nos palcos. Numa apresentação com duas horas e quinze de duração, todos demonstram uma performance invejável, sem qualquer sinal de cansaço físico.

Leia mais  Com a promessa de se diversificar, Rock in Rio busca novos espaços e inovação

 

Show emocionado

Já a potência vocal de Jon, sempre colocada em xeque principalmente na hora dos agudos, foi devidamente amparada com o apoio dos vários vocais e a escolha dos tons mais baixos. Inclusive, chegou a passar quase despercebida diante dos fãs apaixonados que também ajudaram com o coro. Jon e seus companheiros contagiam com o já conhecido carisma, mas também ao transparecer o quanto se divertem tocando suas canções para um público fiel.

Talvez essa fidelidade seja a explicação para que, do alto dos seus 57 anos — dos quais 36 à frente da banda — Jon Bon Jovi ainda se emocione no palco. No show da capital, por pelos menos duas vezes ele se posicionou em frente ao público, com olhos marejados, como se ainda se surpreendesse com a multidão que foi até o Allianz Parque para vê-los. Também pudera. Em 2017, Bon Jovi já havia aterrissado no Brasil com a mesma turnê, quando lotou o mesmo estádio. E, naquele ano, também passou pelo Rock in Rio.

Fã há 30 anos

Isso acontece porque seu público se renova? Não necessariamente. “Sou fã há 30 anos. Estive no primeiro show, em 1995. Depois em 2010, na Argentina e no Brasil, depois em 2013, em 2017…”, contabilizou Sonia Biguetti, de 61 anos. A explicação para tamanha admiração nem ela mesma consegue definir. “Ele ilumina o palco, ele ilumina a minha vida. É uma paixão. Tenho quatro netas e uma delas, de 8 anos, também adora. Na minha casa toca Bon Jovi o tempo todo.”

Questionada se ainda tem pique para os próximos shows que possam vir, Sonia reforça que esse não foi o primeiro e também não será o último. A certeza se dá, inclusive, porque agora ela tem uma vantagem. “O lado bom é que depois dos 60 tem a meia-entrada”, disse, rindo.

Público eclético

Mas o público do Bon Jovi é bem mais eclético que somente as pessoas que acompanharam de perto sua carreira desde o início. Ao lado dos fãs com mais de 40 anos estão aqueles na casa dos 20, que nasceram com Jon e banda já consagrados. “Sempre lota, tem gente que nunca veio e quem vem, sempre volta”, comentou Luís Gustavo Rodrigues Silva, 29 anos.

Ele esteve pela primeira vez num show da banda, vindo num bate e volta da cidade de Uberlândia, em Minas Gerais, ao lado da “super fã” Diene Aparecida Silva, de 28 anos. “O sonho dela era vir a um show do Bon Jovi”, contou Luís. “A gente fica até anestesiada. Eu cresci escutando Bon Jovi com meus pais”, emendou Diene.

It's My Life_________________________________________Um dos maiores hits da história da música? Sim!"It's My Life" foi o primeiro single do álbum "Crush" e foi nomeada no Grammy na categoria "Melhor Performance de Rock de um duo ou grupo". 🏆Como esquecer esse refrão?"It's my life, it's now or never…I ain't gonna live forever, I just want to live while I'm alive… IT'S, MY, LIFE!" ❤#AllianzParque #BonJovi

Publicado por Allianz Parque em Quarta-feira, 25 de setembro de 2019

Fama repentina

Num show bem “pra cima”, com um set list que mesclou clássicos e canções do álbum que dá nome à turnê, o momento romântico foi um dos mais esperados. Afinal, “Bed of roses” foi, mais uma vez, a hora de duas fãs subirem ao palco para dançar de rosto colado com o ídolo. Uma delas foi a também mineira Mickaelly Pinheiro, de 27 anos.

“Desde a manhã estou tentado uma foto com ele. Fui para a porta do hotel. Consegui com alguns da banda. Nunca pensei que isso poderia acontecer. Realizei meu sonho. Nem estou acreditando, ele é maravilhoso, cheiroso, olhou nos meus olhos”, repetia, ao final do show.

Mickaelly, que conheceu Bon Jovi por meio do irmão, chegou anônima ao Allianz e saiu “famosa”. Se antes era ela quem queria uma foto com os ídolos, na saída do estádio eram as fãs fervorosas que desejavam uma foto com ela além, é claro, de perguntar detalhes sobre o “encontro”.

Mickaelly foi uma das fãs que subiram ao palco para contar com Bon Jovi. Depois de ficar “famosa”, atendeu aos pedidos de fotos. Crédito da foto: Regina Helena Santos (25/09/2019)

Rock in Rio

A espera dos fãs agora é para a próxima apresentação de Bon Jovi, no domingo, às 00h25, no Palco Mundo do Rock in Rio com abertura da banda Goo Goo Dolls, como em São Paulo. E a dúvida é sempre a mesma: será que a playlist se repete?

Em São Paulo foram 22 canções. Entre os clássicos, “It’s My Life”, “You give love a bad name”, “Keep the faith” e “Livin’ on a prayer”. “Always”, que em 2017 ficou de fora do Rock in Rio e esteve no show paulista, este ano não fez parte do set list. Resta esperar para ver se, desta vez, a história se inverte. (Regina Helena Santos)

Comentários

CLASSICRUZEIRO