fbpx
Cultura

Cinemas de Sorocaba têm estreias de ‘Mamma Mia’ e produção francesa

Outra novidade que chega às telonas é a comédia “50 são os novos 30”, que estreou mês passado no Brasil, no Festival Varilux de Cinema Francês
cinema-sorocaba-mamma-mia
“Mamma Mia” chega depois de dez anos da primeira produção. Crédito da foto: Reprodução

Sequência do filme musical de sucesso de 2008, “Mamma Mia! Lá vamos nós de novo” é o principal destaque que estreia nesta quinta-feira (2) nos cinemas de Sorocaba. Além da continuação do musical, que arrecadou mais de US$ 600 milhões em bilheteria, a outra opção na cidade é o longa francês “50 são os novos 30”.

Se há dez anos, embalado por hits do quarteto sueco Abba, o público que assistiu “Mamma Mia” conheceu a história de Sophie (Amanda Seyfried), criada sozinha por Donna (Meryl Streep) e com três pais em potencial, agora é a vez de saber mais sobre o passado de Donna (jovem, interpretada pela atriz Lily James, que esteve em “Cinderela”).

O longa mostra como a personagem chegou a uma ilha grega paradisíaca, a fictícia Kalokairi, e se envolveu com três homens diferentes, ao longo de três semanas. Paralelamente, no presente, Sophie enfrenta um dilema parecido com o da mãe nos anos 1970, inclusive com a mesma idade dela. Aos 25 anos, a garota também está grávida e sozinha na ilha, com um hotel herdado — da própria Donna — e prestes a ser reinaugurado. São detalhes do passado que se repetem e fazem com que a filha se veja ainda mais próxima da mãe, agora viva na memória dos amigos e família.

Marcado por luto e solidão, o enredo do filme bem que poderia ser contado de forma mais trágica. Mas “Mamma Mia! 2”, embalado por trilha sonora dos anos 1970, possui uma leveza que somente um musical poderia proporcionar, divertido do começo ao fim.

Leia mais  Neil Peart, o virtuoso baterista do Rush, morre aos 67 anos
Leia mais  'Parasita' vence como melhor elenco no SAG e se prepara para o Oscar

Cinema francês

Outra novidade que chega às telonas é a comédia “50 são os novos 30”, que estreou mês passado no Brasil, no Festival Varilux de Cinema Francês. O longa fala dos problemas de adaptação de uma mulher de 50 anos cujo marido a trocou por uma jovem de 32. Essa mulher, que atende por Marie-Francine, é Valérie Lemercier, famosa comediante francesa que também assina a direção do filme (seu quinto longa) e o roteiro — a quatro mãos, com Sabine Haudepin.

O marido pulador de cerca, Emmanuel Doublet, é interpretado por Denis Podalydès, ator de múltiplos registros. A revelação se dá logo nos primeiros minutos e provoca um verdadeiro furacão na vida de Marie-Francine. Ela perde o emprego, a casa e é obrigada a morar com o pai mal-humorado e a mãe que a trata como uma criança. Para completar, as filhas do casal parecem respeitar mais o pai e sua nova namorada do que a mãe — e são insensíveis à dor causada pela separação.

Comentários
Assuntos