fbpx
Cultura

5ª edição do Febre terá 4 dias de muita música e debates

Para os shows serão cinco palcos espalhados pela cidade. Sesc sedia atividades da Conferência
5ª edição do Febre terá 4 dias de muita música e debates
O festival tem como headliner Johnny Hooker, que se apresenta no ginásio do Sesc no domingo. Crédito da foto: Divulgação

Com palestra do compositor André Abujamra, a 5ª edição do Febre — Festival e Conferência de Música será aberta oficialmente na quinta-feira, dia 7, no teatro do Sesc Sorocaba. Até o dia 10 serão 29 shows, de diferentes gêneros musicais, em cinco palcos espalhados pela cidade. Paralelamente às apresentações, a unidade do Sesc receberá a conferência, com painéis para discutir diferentes questões ligadas à produção musical, com presença de artistas, produtores, jornalistas, personalidades e entusiastas de todo País.

Este ano, o festival tem como headliner Johnny Hooker, que fecha a programação, no dia 10, às 20h30, no ginásio do Sesc. Depois de despontar como um dos maiores nomes do cenário musical brasileiro contemporâneo, o cantor fará um show com canções inéditas de “Coração” e sucessos do disco anterior, por meio de uma narrativa combativa e intensa. Os ingressos, disponíveis até o fechamento desta edição, custam R$ 40 (inteira) e também dão direito aos shows de abertura, às 18h, com Luiza Lian e, às 19h, com Kastrup & Grassmass Duo.

5ª edição do Febre terá 4 dias de muita música e debates
A cantora e compositora Ananda Jacques será atração na sexta, em show às 14h. Crédito da foto: Divulgação

Durante os cinco dias de festival, a programação também abre espaço para artistas locais, que se apresentarão no palco Empulso, que será montado na área de convivência do Sesc, como a cantora e compositora Ananda Jacques (sexta-feira, às 14h) e as bandas Ventilas (sexta-feira, às 17h45) e Alienpovo (sábado, às 17h). De acordo com Pêu Ribeiro, fundador e um dos organizadores do Febre, como já ocorre desde a primeira edição, cerca de metade do line-up é composto por bandas selecionadas em processo de chamamento público, já que o festival também tem como objetivo mapear a produção musical contemporânea.

Leia mais  Suspeito de tentar estuprar mulher tem prisão decretada em São Roque
5ª edição do Febre terá 4 dias de muita música e debates
A banda Alienpovo se apresentará no palco montado no Sesc sábado, às 17h. Crédito da foto: Divulgação

Além do Sesc, que também receberá todas as conferências, os shows acontecem cada dia em um lugar da cidade: no Maloca Centro Criativo (rua Francisco Scarpa, 321, Centro), no Asteroid Entretenimento (rua Aparecida, 737, Santa Rosália), no Saravá Brasil Bar (rua Álvaro Teixeira de Souza Leite, 94, Santa Teresinha) e no Vila Digital (avenida Sorocaba, 500, Jardim Magnólia). A programação completa está disponível no site Festival Febre e o valor dos ingressos varia entre R$ 15 e R$ 45.

Painéis

O grande diferencial do Febre são as conferências, que procuram se constituir em um espaço para a troca, o diálogo e aprendizado da classe artística sobre a produção cultural contemporânea. “A gente sempre procura atender a essa demanda de fomentar a formação e a profissionalização”, diz Pêu. Por essa razão, os painéis contemplam temas diversos, que vão desde o processo criativo à distribuição do material, bem como questões mais específicas, como direitos autorais e uso das redes sociais.

Também no Sesc, haverá workshops de vivências práticas sobre música e minicursos que abordarão capacitação profissional de forma mais aprofundada. A programação completa destas atividades também ser consultada no site do festival.

Leia mais  Um dia na História

Destaques

Na quinta-feira, às 19h, no teatro do Sesc, o multiartista André Abujamra inaugura a edição deste ano compartilhando a construção de sua carreira, a inserção de seu trabalho solo no mercado e sua opinião sobre a cena musical independente na atualidade. A entrada é gratuita e os ingressos devem ser retirados na Central de Atendimento da unidade.

5ª edição do Febre terá 4 dias de muita música e debates
André Abujamra falará sobre a cena musical independente na atualidade. Crédito da foto: Marcelo Macaue / Divulgação

Na sexta, às 12h30, o destaque é o “Encontro aberto de festivais do interior”, com os realizadores dos festivais Circadélica, Locomotiva, Morrostock, Timbre e Vento. Às 14h30, Rafael Rocha, da Revista Noize, profere a palestra “Internet — conteúdo para além da música”. Ambas as atividades são gratuita e ocorrem na área de convivência. Na noite de sexta, das 18h30 às 20h30, Rodrigo Lima, da banda Dead Fish e Mc Tha, participam do painel “Criador e criatura”. Os convidados vão falar sobre como é trabalhar com música e pensar um disco. A mediação do encontro será do cantor e compositor sorocabano Júlio Moura.

Leia mais  Banda da PM se apresenta em shopping

“Direito autoral — o que você precisa saber” é o tema da palestra que Guta Braga, especialista em direito autoral e CEO da Música Copyright e Tecnologia (MCT), fará no sábado, às 15h30, na Sala 1. As vagas são limitadas e é necessário retirar os ingressos com uma hora de antecedência no local. No mesmo dia, das 10h às 14h, o Sesc receberá as ações do “Caixinha de música”, espaço dedicado a musicistas, compositores e músicos que poderão gravar, no mesmo dia, um registro audiovisual de suas composições autorais. Outro destaque de sábado será o painel “Performance no meio musical”, com os cantores Jaloo e Edgar com mediação da atriz Daiana de Moura. A atividade ocorre às 18h30 na sala de oficinas. (Felipe Shikama)

Comentários