Vida saudável

Movimento é o segredo da vida saudável

“O sedentarismo mata”, garante o professor e pesquisador Antonio Carlos Bramante
O Tai Chi Chuan é uma arte marcial milenar de origem oriental, com um sistema de práticas que beneficiam as pessoas num todo, equilibrando tanto a mente quanto o corpo. Ela fortalece o sistema esquelético, o muscular, ativa o sistema circulatório e o endócrino, além de colaborar na produção de endorfinas. Crédito da foto: Reprodução da Internet

Praticamente todas as pesquisas confirmam, e os especialistas garantem: praticar atividades físicas regularmente só traz benefícios para a saúde e melhora a qualidade de vida. E o contrário todo mundo também sabe: “o sedentarismo mata”, como afirma o profissional de Educação Física, professor aposentado pela Universidade de Campinas (Unicamp) e pesquisador convidado da Universidade de Brasília (UNB), Antonio Carlos Bramante. Praticante de exercícios físicos quase que diariamente, Bramante alerta que “nunca se viu tantas pessoas praticando atividades físicas – mas com excessos – e tanta gente sedentária”. “Vivemos um paradoxo, enquanto muitos exageram na intensidade dos exercícios, há outros que simplesmente são inativos”, aponta.

Hoje, com o tema “Saúde Universal: para todas e todos, em todos os lugares”, comemora-se o Dia Mundial da Saúde. Para lembrar a data, o pesquisador destaca os cinco melhores exercícios para um corpo saudável, segundo estudo publicado no ano passado pelo departamento da Harvard Medical School.

Leia mais  Nutricionistas dão dicas para elaborar dieta balanceada

 

Antonio Carlos Bramante é enfático em relação à prática de exercícios físicos: a hora de começar é já. Crédito da foto: Emidio Marques

A pesquisa listou as atividades físicas que todas as pessoas podem e devem fazer para melhorar a saúde e, consequentemente, diminuir os riscos de doenças: natação, Tai Chi Chuan, musculação, caminhada e exercícios Kegel (que fortalecem a musculatura da pelve). “A prática da atividade física protege de praticamente todas as enfermidades. Agora, não posso ser inconsequente e sair correndo. E é o que a gente tem visto por aí nos parques da cidade. Por outro lado, a gente tem uma parcela da população totalmente sedentária, o que favorece o sobrepeso e a obesidade, que são prejudiciais para a saúde”, afirma Bramante.

Leia mais  Saúde é fruto da genética, do ambiente e dos hábitos

Seja ativo o máximo possível

O pesquisador também destaca que não existe um horário correto para a prática de atividades físicas, e que o ideal é que a pessoa seja o mais ativa possível durante as 24 horas do dia. “Os estudos comparativos recentes têm mostrado que as pessoas que se movimentam a cada meia hora ao longo do dia, por exemplo, e são mais ativas, têm mais resultados do que aquelas que reservam somente uma hora do dia para praticar exercícios e não se movimentam mais no restante das 24 horas”.

Bramante conta que as pesquisas demonstram, e a história comprova, que o ser humano não nasceu para ser sedentário. “A gente tem uma herança cultural e biológica para o movimento e daí nós fomos ficando, aos poucos, sedentários e hoje somos muito sedentários”, alerta. Ele destaca ainda que o próprio ambiente de trabalho muitas vezes estimula o sedentarismo nas pessoas. “O ideal seria que as empresas promovessem ao longo do expediente atividades físicas, de 15 minutos cada, para combater o sedentarismo”.

“Exercícios Kegel” é o nome de um tipo de exercício físico que foi criado por Arnold Kegel, na década de 1940, e que tem como finalidade fortalecer o músculo pubococcígeo, que vai do púbis ao cóccix. Este exercício consiste na contração e descontração deste músculo. Crédito da foto: Reprodução da Internet

O pesquisador aponta ainda que as atividades físicas ao ar livre são ideais, mas que é preciso ficar atento ao horário impróprio, que é das 10h às 16h, por conta da intensidade dos raios solares, e para as condições do piso, sobretudo os idosos, já que as quedas são fatores de risco. “A hora de começar é já. E as pessoas devem começar devagar e sem exageros. Se não quer ir para a academia, mude os hábitos da sua rotina: ande mais, desça do ônibus um ponto antes e vá caminhando até o trabalho. Mora em apartamento, então, desça um andar antes e suba a escada. Tem cachorro? Leve-o para passear. E o lembrete clássico – toda atividade física deve ter o acompanhamento de um profissional especializado”, e cada faixa etária deve respeitar seus limites, ensina Bramante. (Ana Cláudia Martins)

Comentários