Guia Saúde Oncologia

Médico dá dicas sobre os sinais do câncer de próstata

Médico dá dicas sobre os sinais do câncer de próstata
Alimentação saudável e exercícios ajudam a prevenir o tumor. Crédito da foto: Divulgação

O câncer de próstata é uma doença silenciosa e ainda cercada de muitos tabus. Até o final deste ano, o Brasil deve registrar cerca de 66 mil novos casos, o que torna esse tipo de tumor maligno um mais comuns entre os homens. A estimativa é do Instituto Nacional do Câncer (Inca), que aponta também que a enfermidade deve tirar a vida de mais de 16 mil pacientes em 2020.

Além de não apresentar muitos sintomas no estágio inicial, o diagnóstico desse tipo de câncer ainda enfrenta diversos preconceitos, como os exames de rotina e até a conversa sobre o assunto. Entretanto, pequenos sinais no dia a dia podem indicar a necessidade de procurar atendimento médico.

O oncologista Paulo Bispo, do Centro Oncológico Devita, explica que os sintomas são mais frequentes a partir dos 50 anos, quando os homens começam a apresentar um aumento da próstata. “A demora em diagnosticar a doença reduz proporcionalmente as chances de vencer o câncer”, alerta o médico.

Leia mais  Jovens são maioria entre os novos casos de Aids

Paulo explica que, entre os sinais mais comuns, estão: o aumento da frequência urinária no período noturno; a necessidade de fazer força ao urinar; jato de urina mais fino e fraco; sangue na urina ou no esperma; e dor durante a ejaculação.

Ao apresentar algum desses sintomas o homem deve procurar um urologista para avaliação clínica e laboratorial. “Na maioria das vezes, esses sinais podem estar relacionados a doenças benignas da próstata, mas também podem se referir à presença de um câncer. Somente uma avaliação especializada poderá definir o diagnóstico”, explica Bispo.

O toque retal, além do exame de PSA (em inglês Prostate-Specific Antigens), também é muito importante no diagnóstico. Em famílias com histórico da doença, os homens devem prestar atenção aos sinais e procurar acompanhamento médico a partir dos 40 anos, além de adotar um estilo de vida saudável. (Da Redação)

Comentários